As artes visuais mais fortes

Convênio entre Sesi e Inhotim vai trazer para Minas, ações do Prêmio Marcantonio Vilaça para as artes plásticas

iG Minas Gerais | Júlio Assis |

Convênio. Antônio Grassi, pelo Inhotim, com Robson Andrade e membro de universidade inglesa
Marco Rodrigues divulgacao
Convênio. Antônio Grassi, pelo Inhotim, com Robson Andrade e membro de universidade inglesa

A assinatura de um convênio entre o Sesi nacional e o Instituto Inhotim, em Brumadinho, foi um dos destaques do lançamento da quinta edição do Prêmio CNI Sesi Senai Marcantonio Vilaça para as artes plásticas, ocorrido quinta-feira à noite no Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro. Pelo convênio com o Sesi, que foi anunciado pelo presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, entre outras iniciativas haverá, em 2015, uma exposição em Inhotim com trabalhos dos 30 artistas pré-selecionados para o prêmio.Rio de Janeiro.

O diretor-executivo de Inhotim, Antônio Grassi, que assinou o convênio pela instituição mineira, declarou que a parceria é uma oportunidade de aliar o prêmio às iniciativas que estão sendo projetadas em Brumadinho. “Hoje Inhotim recebe mais visitantes internacionais do que de outros Estados brasileiros fora de Minas e estamos trabalhando num programa de nacionalização do instituto, o que se encaixa nesse trabalho com a CNI, Sesi e Senai, que desenvolvem muitos projetos pedagógicos pelo país”, disse Grassi.

Ele revelou que uma dessas propostas é criar exposições itinerantes de Inhotim. “Já vamos começar isso com duas exposições com curadoria do Rodrigo Moura, uma no Palácio das Artes, no fim deste ano, e outra no Itaú Cultural, em São Paulo, no ano que vem”, antecipou. Ele informou também que o convênio assinado nessa quinta prevê ações em um período de cinco anos.

Presente no evento no Rio de Janeiro, Rodrigo Moura, que é diretor de artes e programas culturais de Inhotim, avaliou a importância do convênio: “Ele é muito positivo no sentido de unir forças entre as instituições, traz toda a história do Marcantonio Vilaça e a força agregadora da CNI”.

Outro convênio assinado na mesma oportunidade foi entre o Sesi e a Universidade Metropolitana de Manchester, da Inglaterra, que prevê o intercâmbio técnico na área de arte e design entre os dois países. Nessa quinta edição do prêmio, um artista e um curador vencedores participarão de uma residência na faculdade de artes da universidade inglesa. Os dois selecionados serão definidos pela curadoria do prêmio.

Formato. O curador do Prêmio Marcantonio Vilaça, Marcos Lontra, explicou que para a seleção o mapa do Brasil foi dividido em cinco regiões e em cada uma delas curadores visitarão ateliês para escolha dos participantes. “Além disso, vamos premiar dois jovens curadores”, completou.

A quinta edição do prêmio comemora também os dez anos da iniciativa. No lançamento foram abertas duas exposições, que ficam em cartaz no Museu Histórico Nacional: a panorâmica de arte contemporânea “Inventário da Paixão”, uma homenagem ao galerista Marcantonio Vilaça, patrono do prêmio, e “Cor, Luz e Movimento”, com obras de Abraham Palatniki e de outros artistas em torno do tema indústria e arte.

Quem foi

Galerista. O pernambucano Marcantonio Vilaça, falecido precocemente em 2000 aos 37 anos de idade, foi um aglutinador da arte contemporânea brasileira e a projetou também para o exterior.

O jornalista viajou a convite do Prêmio Marcantonio Vilaça.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave