Procuradoria abre inquérito para apurar suspeita na Fazenda

Ministério Público vai investigar se dois assessores do ministro Guido Mantega receberam propina de empresa que prestava serviços de comunicação à pasta

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A Procuradoria da República no Distrito Federal abriu inquérito civil público para investigar suspeita de corrupção no Ministério da Fazenda. O Ministério Público vai investigar se dois assessores do ministro Guido Mantega receberam propina de empresa que prestava serviços de comunicação à pasta.

No fim do ano passado, Marcelo Fiche, ex-chefe de gabinete de Mantega, e seu colega Humberto Alencar, então chefe da assessoria técnica do ministro, foram acusados de receber dinheiro da Partnersnet, empresa que tinha contrato de R$ 4,7 milhões com a pasta. Fiche teria recebido pelo menos R$ 60 mil.

Eles negam. A denúncia foi feita por uma ex-funcionária da Partnersnet que supostamente queria se vingar dos patrões disse à revista ter levado dinheiro algumas vezes aos ex-assessores -os donos da empresa negam. O caso foi revelado pela revista "Época".

A abertura do inquérito foi determinada pelo procurador Igor Nery. A decisão foi tomada porque já havia um procedimento preliminar de investigação aberto e que teve o prazo de 180 dias vencido. Nery avaliou que é preciso aprofundar a apuração.

A Folha de S.Paulo revelou em abril que a comissão de sindicância do Ministério da Fazenda montada para apurar o caso encontrou indícios de irregularidade e recomendou a abertura de um inquérito administrativo para apurar o caso.

A empresa Partnersnet Comunicação Empresarial nega que tenha mandado entregar dinheiro aos funcionários.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave