Audiência pública é realizada para discutir denúncias de truculência

Moradores de rua e entidades ligadas ao setor se encontraram no Ministério Público de Minas Gerais na tarde desta sexta-feira (30)

iG Minas Gerais | Pedro Vaz Perez |

Moradores de rua e entidades ligadas ao setor participaram na tarde desta sexta-feira (30) de audiência pública realizada na sede do Ministério Público de Minas Gerais. Na ocasião, diversas pessoas se manifestaram com reclamações e denúncias. O MPMG garantiu que dará encaminhamentos às demandas.

Dentre as principais reclamações de moradores de rua, estão truculência e violência policial e falta de condições de higiene e segurança nos abrigos municipais. “As instituições estão cortando lenha com machado cego. É a mesma postura há 20 anos. Oferecer banho e almoço ao morador de rua não vai mudar em nada a nossa situação. Precisamos de qualificação, alfabetização e capacitação profissional para que possamos arrumar emprego. Só o trabalho dignifica o homem”, afirmou o morador de rua José Geraldo dos Santos. Ele é engenheiro florestal, mas o alcoolismo acabou o levando às ruas. Atualmente, passa suas noites no albergue Tia Branca.

O morador de rua Marcos Antonio Soares engrossa o coro do colega. “A segurança nos albergues é precária e a higiene é péssima. Recentemente sofremos uma infestação de percevejos”, relata. Ele também reclama da má qualidade de cobertores, lencóis e toalhas novas. “A grande maioria é velha, pequena e com buracos”, completa.

O presidente da Coordenadoria de Inclusão e Mobilização Sociais (Cimos) do MPMG, promotor de Justiça Paulo César Vicente de Lima, requerente da audiência, comentou a importância do evento. “Os moradores de rua são cidadãos como qualquer outros e têm direitos a ter direitos. Espero que essa audiência marque uma nova página na vida dessas pessoas”, afirmou.

Após ouvir relatos dos moradores de rua, o Ministério Público garantiu que fará encaminhamentos e inquéritos poderão ser abertos. As denúncias serão encaminhadas às promotorias competentes.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave