Wenger renova e deve completar 20 anos de Arsenal

Treinador do Gunners fechou contrato até 2017 e mantém dinastia começada por Ferguson, que ficou 27 anos à frente do Manchester United

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Site oficial/Divulgação
undefined

Já marcado na história do Arsenal, Arsène Wenger garantiu a prolongação de sua trajetória na equipe londrina nesta sexta-feira. O treinador acertou sua renovação contratual por três temporadas, até o meio de 2017. Se completar o novo vínculo o francês, que chegou em 1996, superará os 20 anos de clube.

Wenger é um dos técnicos mais vencedores da história do Arsenal. Em uma época na qual a demissão de treinadores é tida como a primeira medida para alavancar um time em baixa, a dinastia do francês aparece como a principal do futebol mundial, depois da aposentadoria de Alex Ferguson, no meio do ano passado, após 27 anos no comando do Manchester United.

"Eu quero ficar e quero continuar a desenvolver o time e o clube. Nós estamos entrando em um período muito animador. Nós temos um elenco forte, estabilidade financeira e um grande apoio ao redor do mundo. Estamos todos determinados para trazer mais sucesso para este clube", declarou o técnico.

O acordo aconteceu poucos dias depois de Wenger encerrar um incômodo jejum de nove anos sem conquistas do Arsenal. Há duas semanas, a equipe voltou a levantar um troféu após vencer a final da Copa da Inglaterra diante do Hull City. O último título havia sido em 2005, também na Copa da Inglaterra.

Aquela equipe, aliás, é tida como uma das melhores da história do Arsenal, com nomes como Campbell, Ashley Cole, Vieira, Pires, Bergkamp e Henry. A realidade nos últimos anos, no entanto, foi bem diferente. Com um time enfraquecido e sem grandes estrelas, os londrinos passaram a ser coadjuvantes no Campeonato Inglês e na Liga dos Campeões. Wenger sofreu com a pressão, mas o clube o manteve no comando.

"O clube sempre demonstrou fé em mim e sou muito grato por isso. Nós passamos por períodos fantásticos e também por períodos nos quais tivemos que ficar unidos. Toda vez que a união era testada eu recebia a resposta certa. Eu acho que já mostrei alguma lealdade a esse clube também e espero que possamos fazer mais história. Tenho certeza que podemos", garantiu Wenger.

Contratado em 1996 junto ao Nagoya Grampus, do Japão, após passagens por Nancy e Monaco, o treinador teve sua trajetória no Arsenal enaltecida pelo sócio-majoritário do clube, Stan Kroenke. "Sustentar excelência é a coisa mais difícil de alcançar no esporte e o fato de o Arsenal competir no topo da Inglaterra e da Europa durante o tempo que o Wenger comandou o time é o testemunho final de sua consistência de desempenho, talento e ambição."

Leia tudo sobre: wengerarsenalinglaterracontratorenovaçãocampeonato inglês