Servidores municipais de Poços de Caldas cruzam os braços

De acordo com o sindicato, categoria teria feito 30 reivindicações, mas a prefeitura só aceitou discutir 11; presidente Dilma estará na cidade esta para entrega de máquinas do PAC 2

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Servidores municipais de Poços de Caldas, Sul de Minas Gerais, paralisaram as atividades, na manhã desta sexta-feira (30) e realizam uma assembleia para decidir se seguem em caminhada até o evento, que acontece nesta tarde na cidade, com a presença da presidente Dilma Rousseff, para chamar a atenção do prefeito.

Segundo a presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Poços de Caldas, Fabiana de Sales Gimenes, são 5.400, sendo 1.600 professores. A categoria pede 10% de aumento salarial, já que 1.500 servidores ganham abaixo do salário mínimo e assim passariam a receber pelo menos R$ 724, e aumento do vale alimentação de R$ 315 para R$ 460. Ainda, os educadores particularmente reivindicam pagamento do piso nacional de magistério e o cumprimento da lei, que prevê  ⅔ da carga horário em sala de aula e ⅓ de atividades extraclasse.

Das 30 reivindicações feitas, a prefeitura teria aceitado discutir 11, segundo Fabiana. Ainda nesta sexta-feira, os servidores irão decidir se mantêm a paralisação ou se entram em greve.

Evento com a presidente

Dilma participa da entrega de mais um lote de máquinas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2 Equipamentos), para auxiliar nas obras de infraestrutura nas áreas rurais. O evento acontecerá nesta tarde, no Complexo da Urca, centro cultural de Poços de Calda.

A prefeitura foi procurada pela reportagem, mas não atendeu às ligações.