A paixão que sai dos campos para a telona

iG Minas Gerais | Vinícius Lacerda |

Primeiro e único festival de cinema do Brasil e da América Latina dedicado à exibição de filmes sobre o futebol, o Cinefoot retorna a Belo Horizonte partir deste sábado com mostras de longas e curtas-metragens, documentários e oficinas. Pela primeira vez, haverá a Mostra Competitiva Mineira entre as produções.

As atividades seguem até quarta-feira em quatro locais diferentes na capital mineira: Cineart Ponteio, Cine Belas Artes, Museu das Minas e do Metal, Memorial Minas Gerais – Vale e Oi Futuro.

Idealizado em 2010 na cidade Rio de Janeiro, o festival desdobrou-se e hoje conta com uma edição regular em São Paulo. Pela primeira vez, Belo Horizonte terá uma versão oficial do Cinefoot – no ano passado, a cidade recebeu um “tour”, mas não uma versão completa.

“Podemos considerar o fato de o festival ter vindo para a cidade como um reflexo do futebol mineiro atual. Estamos vivendo uma das melhores fases por aqui. Fomos campeões da Libertadores e do Campeonato Brasileiro. Dessa forma, temos o cenário tanto do futebol quanto do cinema valorizados”, afirma a coordenadora de programação do Cinefoot-BH, Daniela Fernandes.

A principal novidade da edição mineira é a realização da Mostra Competitiva de longas e curtas-metragens, cujas exibições acontecerão no Cine Belas Artes. Ao todo, oito produções disputam a preferência dos espectadores, que, ao fim de cada sessão, dão nota para o filme selecionando.

“Tivemos cinco longas mineiros inscritos, um número expressivo se você considerar que é difícil fazer um longa, ainda mais sendo todos sobre futebol. E isso vem reafirmar que Minas está evoluindo com relação à temática”, diz Daniela.

AFETO. Entre os longas citados pela coordenadora, um deles é sobre memórias afetivas do futebol. Outro, de Governador Valadares, foca a história do Democrata-GV e três são sobre o Atlético. “Nunca tivemos tanto filmes de futebol produzidos por aqui. Um curta sobre o Galo foi o vencedor da categoria no Rio de Janeiro. Além de inesperado, por ser sobre um time de outro Estado, prova que é uma produção de qualidade”, diz Daniela. Ao todo, sete longas e 12 curtas participam do concurso.

Mas o festival extrapola as tradicionais competições de festivais de cinema e promove uma sua programação paralela, exposições, vídeo-instalações e outras atividades.

Entre todas elas, destacam-se duas voltadas para crianças: uma delas é a Mostra Dente de Leite, no Museu das Minas e do Metal, que exibe filmes nacionais e internacionais, como o sueco “Gaúchos Canarinhos”, de René Goya Filho, sobre a criação da camisa canarinho, que completa 60 anos. O criador da camisa, Aldyr Schlee, participará do festival como palestrante e ministrará uma oficina para crianças, na qual os pequenos aprenderão a criar sua própria camisa.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave