O lateral de respeito

iG Minas Gerais | Victor Martins |

Impossível falar de Rodrigues Neto e não se lembrar do Flamengo. Afinal de contas, foram nove anos no clube rubro-negro, mais de 400 partidas e 30 gols pela equipe da Gávea. Mas foi como jogador do Botafogo que Rodrigues Neto disputou a Copa do Mundo de 1978, na Argentina. Pela seleção, foram bem menos vezes em campo, somente 19 partidas, sendo quatro delas no Mundial.

Rodrigues Neto não começou a competição como titular, mas ganhou seu espaço durante os treinos. Tanto que, no terceiro jogo, o último da primeira fase, contra a Áustria, ele já estava na formação inicial. Foi o dono da lateral esquerda em quatro dos jogos da campanha que rendeu ao Brasil o terceiro lugar, inclusive no empate sem gols com a Argentina.

Apesar da baixa estatura, Rodrigues Neto era um lateral respeitado pelos atacantes. Além da marcação, era um jogador com boa característica no apoio. Sabia chegar bem na frente e criar situações de gols para os companheiros.

Mineiro de Central de Minas, foi no Espírito Santo que José Rodrigues Neto começou a carreira. Revelado pelo Vitória-ES, logo foi descoberto pelo Flamengo, clube que defendeu por quase uma década.

Apesar da forte ligação com o rubro-negro, Rodrigues Neto ainda jogou por outros dois grandes clubes do Rio de Janeiro. Em 1976, ele trocou a Gávea pelas Laranjeiras, para jogar pelo Fluminense. Dois anos depois, foi para o Botafogo. Já bem veterano, Rodrigues Neto teve a chance de jogar pelo pequeno São Cristóvão, bastante conhecido por ter aberto as portas para Ronaldo, que ainda não era Fenômeno.

Estadual. Rodrigues Neto conquistou apenas estaduais por Flamengo (2), Fluminense e Inter. Na época, disputavam-se torneios amistosos, e ele ganhou muitos

Andarilho. Já veterano, Rodrigues Neto deixou o Boca e foi defender o São Cristóvão, do Rio de Janeiro. Antes de se aposentar, ele ainda atuou no futebol chinês

Despedida. Em 1990, em um partida amistosa, Rodrigues Neto vestiu a camisa do Flamengo mais uma vez. Ele teve a chance de fazer um jogo-despedida pelo clube

Bons momentos com os hermanos Titular da seleção brasileira no Mundial disputado na Argentina, Rodrigues Neto caiu nas graças dos hermanos. Tanto que ele voltou ao país vizinho no ano seguinte, para defender o Ferro Carril Oeste. Atualmente, o clube está na Segunda Divisão, mas, na época, vivia bons momentos. Tanto que seus dois títulos nacionais foram conquistados no início da década de 80, logo depois de Rodrigues Neto ir para o Internacional. Além do Ferro Carril, o lateral brasileiro teve outra passagem pela Argentina, no poderoso Boca Juniors. Como ele já estava com 35 anos de idade, o desempenho não foi dos melhores, e a estadia em Buenos Aires durou poucos meses.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave