Lixão é alvo de protestos

Grupo de 50 pessoas impede que veículos entrem no bota-fora; PSDC quer saber se a empresa tem licença para receber o lixo

iG Minas Gerais |

Cerca de 50 moradores do bairro Retiro realizam uma manifestação e fecham a entrada de um bota-fora na manhã desta quinta-feira (29). Eles ameaçam atear fogo nos caminhões que estão na porta do local.

De acordo com a Polícia Militar, o grupo se concentra em frente ao “Bota Fora São Domingo”, na rua Retiro dos Padres, em uma estrada vicinal. A reclamação dos moradores é pelo excesso de lixo jogado no local. “Os moradores sofrem com o mau cheiro. Tudo de ruim eles trazem para esse lixão", disse a dona de casa Fabiana Rodrigues, 26. “São quase 100 caminhões que chegam aqui por dia, enchem de entulho. O que eles querem é mostrar serviço pra Copa em Belo Horizonte e não se importam conosco”, esbraveja. Militares do 18º Batalhão acompanham o ato, que, até o fechamento da edição acontece de forma pacífica.

Em nota, a Prefeitura de Contagem respondeu que o local possui licença, concedida pelo município, para operar como aterro de resíduos da construção civil, e também é autorizado pelo governo estadual a receber o material proveniente do assoreamento da lagoa da Pampulha, conforme os condicionamentos da licença.

A nota afirma, ainda, que a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade está à disposição para receber os manifestantes, e que um fiscal da pasta será enviado ao local para averiguar a situação.

Audiência

Esta semana o presidente estadual do PSDC, Alessandro Marques, vai formalizar uma solicitação ao vereador Irineu Inácio (PSDC) para que promova com urgência uma audiência pública, com o intuito de esclarecer as condições e legalidade da disposição de resíduos da Pampulha na cidade de Contagem, uma vez que a Câmara de BH tem se manifestado contra a forma como tem sido feito. Resta saber ainda se a empresa tem licença para receber o lixo tóxico.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave