Petista: “postura era carregada de ódio”

iG Minas Gerais |

Brasília. O líder do PT na Câmara, Vicentinho (SP), criticou, ontem, a postura “carregada de ódio” do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa. No dia em que Barbosa anunciou a aposentadoria, Vicentinho disse que “tem gente no mundo jurídico” festejando a saída do ministro da Corte. “A postura dele não foi de quem é de fato um estadista no Poder Judiciário”, considerou.  

O líder do PT na Câmara disse que o presidente do STF mostrou uma postura que “não cabe a um juiz”. Vicentinho condenou também o trâmite da ação do mensalão mineiro, que envolve políticos do PSDB, e o julgamento do processo do PT em ano eleitoral. “Se esta saída dele for com o objetivo de sair candidato a alguma coisa, desmorona toda uma tese de que ele não teve influência política no julgamento da Ação Penal 470. Se isso se confirmar, mostra que todo o procedimento, carregado de ódio, politizado, era aquilo que desconfiávamos”, declarou.

Negro. O líder do PT lembrou que, no dia seguinte à vitória do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2001, foi à casa do petista em São Bernardo do Campos, em São Paulo, e sugeriu que ele indicasse um negro para o STF. “Sugeri que o Lula indicasse um negro ou uma negra. Agora, minha responsabilidade vai até aí porque não indiquei Joaquim Barbosa”, afirmou.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave