Delator do esquema poderá se beneficiar

iG Minas Gerais | Lucas Pavanelli |

A saída de Joaquim Barbosa do Supremo Tribunal Federal (STF) deve impactar nas futuras decisões relativas ao processo do mensalão que ainda têm que ser tomadas pela Corte.  

Além dos recursos para que os presos em regime semiaberto possam trabalhar fora das penitenciárias, o tribunal ainda tem que bater o martelo sobre o pedido de prisão domiciliar do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ). O advogado do delator do mensalão, Marcos Pinheiro de Lemos, espera que a decisão seja tomada de forma mais eficiente. “É o relator do caso que está demorando a julgar”, afirmou.

Barbosa evitou comentar qual seria o procedimento adotado por ele nos recursos que ainda restam a ser julgados. “Esse assunto está completamente superado. Sai da minha a vida Ação Penal 470 (processo do mensalão) e eu espero que saia também da vida de vocês. Chega desse assunto”, esquivou-se. 

Comemoração

Réus. A informação que circulava ontem à noite, poucas horas após Joaquim Barbosa anunciar a aposentadoria é que, de dentro da prisão, os réus do mensalão comemoraram a notícia,

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave