Juro do cheque especial vai ao maior nível em dois anos

Taxa sobe 6,6 vezes mais que a básica da economia

iG Minas Gerais |

Brasília. Os juros cobrados pelos bancos nas operações com o cheque especial para pessoas físicas subiram para 161,8% ao ano em abril deste ano, o maior valor desde abril de 2012 (163,2% ao ano), de acordo com números divulgados nessa quinta pelo Banco Central (BC). Apenas entre março e abril, a taxa se elevou em 2,5 pontos percentuais. Em 12 meses, o juro da modalidade de crédito subiu 25 pontos percentuais.  

Em abril do ano passado, o Banco Central começou a elevar a taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic. Só que os juros básicos cresceram 3,75 pontos percentuais nos últimos 13 meses, de 7,25% para 11% ao ano. Ou seja: os juros do cheque especial para pessoas físicas avançaram 6,6 vezes mais do que a alta do juro básico.

Ainda de acordo com o BC, a média diária de concessões de crédito livre caiu 4,1% em abril em relação a março, para R$ 13,4 bilhões. Nos últimos 12 meses, há uma alta de 8,3%. No crédito direcionado, a média caiu 3,2% de março para abril. Em 12 meses, há um crescimento de 20,8%.

Quando se junta o crédito livre e o direcionado, a queda é de 4% em abril, com alta de 9,9% ao longo dos últimos 12 meses. O total das concessões diárias ficou em R$ 15,5 bilhões ao final de abril.

Spread. O aumento dos juros bancários com intensidade maior que o a alta da Selic gerou o aumento do chamado spread bancário (diferença entre o que os bancos pagam pelo dinheiro e o que cobram dos clientes). Em abril do ano passado, o spread nas operações com pessoas físicas estava em 25,4 pontos percentuais. Em abril deste ano, já estava em 29,7 pontos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave