Casas de câmbio reforçam estoques para o turista

Venda de reais deve dobrar e atingir um percentual de cerca de 30%

iG Minas Gerais | Queila Ariadne |

Preparadas. Casas de câmbio reforçam atendimento e caixas para atender a demanda estrangeira
MARIELA GUIMARAES / O TEMPO
Preparadas. Casas de câmbio reforçam atendimento e caixas para atender a demanda estrangeira

A previsão do Ministério do Turismo é que Belo Horizonte receba cerca de 62,3 mil turistas estrangeiros durante a Copa do Mundo. E, quando chegarem, pelo menos a maioria deles terá que trocar a moeda por real. Para dar conta da demanda, corretoras, bancos e casas de câmbio já estão se preparando com reforço na equipe. Segundo o gerente de câmbio da Pichionni, Jair Reis, não é possível mensurar o aumento do movimento, mas dá para afirmar que a procura vai crescer e é preciso estar preparado.

“Nós temos nove lojas, e estamos presentes na maioria dos shoppings de Belo Horizonte e região. Nós vamos reforçar os plantões de fim de semana e elevar a quantidade de reais”, anuncia Reis. Na avaliação dele, como não há previsão de que o comércio aceite dólar ou euro, os turistas terão realmente que recorrer às casas de câmbio.

O diretor da Cotação, Alexandre Fialho, ressalta que, normalmente, o setor vende moeda estrangeira. Com a Copa, vai enfrentar uma situação diferente, porque, ao invés de entrar reais, eles vão sair. “Cerca de 85% do nosso fluxo é vendendo moeda estrangeira e 15% é comprando. Embora seja muito difícil estimar, acredito que a venda de reais deva dobrar e atingir um percentual de 30%”, avalia.

Entretanto, Fialho faz um lembrete importante. Tudo depende dos jogos que cada cidade-sede receberá. Na primeira fase, Belo Horizonte receberá as seleções da Argentina, Irã, Colômbia, Grécia, Costa Rica, Inglaterra, Bélgica e Argélia. Dessas, ele acredita que apenas Argentina e Inglaterra trarão um volume maior de turistas. “Temos três lojas em Belo Horizonte e estamos muito bem preparados para atender aos estrangeiros”, afirma Fialho.

Além dos shoppings, o maior movimento é esperado nos aeroportos, onde os turistas desembarcam e já buscam moeda local. Em Confins, a única casa de câmbio do terminal, o banco Safra, também vai reforçar o atendimento, mantendo o atendimento 24 horas.

Fluxo. Em todo o Brasil, são esperados 3,7 milhões de turistas para a Copa do Mundo, segundo as projeções do Ministério do Turismo. Desse total, 600 mil virão de outros países. A capital mineira receberá cerca de 10% do total dos estrangeiros.

Dos 3,1 milhões de brasileiros que viajarão dentro do país para ver os jogos, pouco mais de 10% vai passar por Belo Horizonte.

Além dos quatro jogos da primeira fase do Mundial, o Mineirão também vai sediar uma disputa das oitavas e uma semifinal.

No Mineirão

Tabela. O primeiro jogo em Belo Horizonte vai ser Colômbia e Grécia, no dia 14 de junho. No dia 17, se enfrentam Bélgica e Argélia. No dia 21, Argentina Irã. Já no dia 24, Costa Rica e Inglaterra.

Santander adaptará caixas para turista sacar em real Os bancos também estão preparados para atender aos turistas estrangeiros. O espanhol Santander criou alternativas para facilitar a vida de quem vem ao Brasil assistir à Copa do Mundo. Os estrangeiros, mesmo aqueles que não são correntistas, poderão sacar em reais nos caixas eletrônicos, usando as bandeiras Visa (redes Electron e Plus) e MasterCard (redes Maestro e Cirrus). Também poderão verificar saldo em conta corrente ou poupança nos terminais. Serão implantados 5.700 caixas eletrônicos adaptados para essas operações. A rede também vai disponibilizar troca de dólar e euro por real em 250 agências. Para quem já é cliente lá fora, não será cobrada a tarifa nas operações de câmbio, entre 1º de junho e 31 de agosto de 2014, em caso de uso do cartão de débito global. O banco criou ainda um hotsite em português, inglês e espanhol, para facilitar o acesso dos turistas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave