Festa italiana reúne tradições

Cerca de 80 mil pessoas são esperadas no domingo na Savassi, com música, atrações culturais e, claro, comida; restaurantes tradicionais oferecem pratos clássicos, velhos conhecidos do brasileiro

iG Minas Gerais | Lygia Calil |

Penne a la Matriciana,do chef Mauricio Gallo,que já participou de todas as edições da festa
LEO FONTES / O TEMPO
Penne a la Matriciana,do chef Mauricio Gallo,que já participou de todas as edições da festa

Para o brasileiro, comida italiana está na categoria “comfort food”, aquela que remete à memória afetiva e traz consigo ares de casa, família. Simplificando, pode ser chamada de comida da vovó, tamanho significado que carrega. Não é à toa que somos o terceiro maior consumidor de massa do mundo.

Para celebrar essa paixão, a Associação de Cultura Ítalo-Brasileira de Minas Gerais organiza, neste domingo, a oitava edição da Festa Tradicional Italiana de Belo Horizonte. O festejo comemora o Dia da República Italiana e, segundo a entidade, a festa mineira é a maior do mundo do gênero, fora da Itália. Neste ano, são esperadas 80 mil pessoas.

Entre atrações culturais e de lazer, um dos principais atrativos da festa é, claro, a comida. Dezenas de restaurantes especializados montam suas barraquinhas para oferecer pratos clássicos, juntando o prazer da gastronomia italiana com a praticidade da comida de rua, preparada na hora.

O chef italiano Maurizio Gallo esteve em todas as edições da festa e, neste ano, definiu um cardápio clássico, mas eclético: entre as massas, a mais pedida é o Penne à la Matriciana, com bacon e tomate pelatti, mas há opções como o farfalle, fusille e espaguete, montados com molhos como pesto, branco ou sugo, a gosto do freguês. De sobremesa, o italianíssimo tiramisù.

“E, claro, o vinho, que não poderia faltar. Por causa dele, também, a festa é um encontro muito animado, como deve ser qualquer festa italiana. É um encontro feliz de patrícios meus e brasileiros, um sucesso, sempre”, afirma Gallo.

Participante pela primeira vez dos festejos, o chef Paolo Peluso, do restaurante Anella, vai trocar a região da Pampulha pela Savassi por um dia. A barraca da casa vai ter prato único: fettuccine com polpettone. “A festa é muito bonita, a expectativa está alta para agradar esse público todo”, afirma Peluso.

O movimento gastronômico Slow Food também marcará presença na celebração. No estande, haverá exposição de plantas alimentícias não-convencionais, laboratório e brincadeiras.

SERVIÇO: 8ª Festa Tradicional Italiana, 1º de junho, das 10h às 21h. Av. Getúlio Vargas, entre Professor Morais e Tomé de Souza, Savassi. Ingresso: um quilo de alimento não-perecível.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave