Sem feriado, comerciários protestam em São Paulo

Trabalhadores foram excluídos da lei que decreta feriado em 12 de junho, assim, eles não terão direito a hora extra, vale-alimentação excepcional para feriados e um dia de folga

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Depois de serem excluídos da lei que decreta feriado em 12 de junho, data de abertura da Copa, os comerciários marcaram protesto para esta sexta-feira (30), às 10h, em frente à Prefeitura de São Paulo.

A data será considerada dia normal para a categoria. Assim, os trabalhadores não terão direito a hora extra, vale-alimentação excepcional para feriados e um dia de folga.

A lei foi sancionada pelo prefeito Fernando Haddad (PT). O texto original enviado pelo prefeito para aprovação da Câmara excluía do feriado só os serviços essenciais, como assistência médica e hospitalar, transporte coletivo e captação de esgoto e lixo.

Após iniciativa do vereador Antônio Goulart (PMDB), diversas lideranças da Casa resolveram incluir uma emenda garantindo o funcionamento do comércio. Goulart considerou "absurda" a proposta de fechar o comércio numa data que concentra o Dia dos Namorados e a abertura da Copa. "O comércio hoje está vendendo almoço pra pagar a janta."

O presidente do sindicato, Ricardo Patah, afirma que o decreto não deveria criar exceções e que Haddad poderia ter vetado o texto após a inclusão da emenda. A prefeitura diz que sancionou a matéria em consonância ao debate promovido pela Câmara Municipal.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave