Negada reparação financeira a soldado que diz ter sofrido preconceito

Homem relatou ter sido liberado um mês e meio depois de ser incorporado no 18° Batalhão de Infantaria de Sapucaia do Sul, do Rio Grande do Sul,

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A Justiça negou reparação financeira por danos morais a um soldado que alega ter sido tratado com preconceito pelo Exército, aos ser dispensado do serviço militar por ser considerado obeso. Decisão foi dada pela 3ª turma do Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª região. Relatos do processo apontam que o soldado foi incorporado ao 18° Batalhão de Infantaria de Sapucaia do Sul, do Rio Grande do Sul, em 17 de janeiro de 2011 e liberado um mês e meio depois. O soldado entrou com uma ação que pedia R$ 30 mil de indenização.

Durante o processo, a união alegou que a dispensa "foi porque havia excesso de contingente" . Após a ação ser considerada improcedente pela 3ª Vara Federal de Porto Alegre, o autor recorreu.

A primeira ação foi considerada improcedente pela 3ª Vara Federal de Porto Alegre, o autor recorreu.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave