Greve afeta atividades de mais de 70% das escolas municipais de BH

Servidores estão em greve há 24 dias; segundo a prefeitura, proposta de reajuste de 7% só é válida até esta sexta-feira

iG Minas Gerais | Bruna Carmona |

CIDADES:BELO HORIZONTE:MG: MANIFESTACAO DE SERVIDORES PUBLICOS NA AVENIDA AFONSO PENA.

FOTO: Alex de Jesus/ O Tempo 29.05.14
Alex de Jesus
CIDADES:BELO HORIZONTE:MG: MANIFESTACAO DE SERVIDORES PUBLICOS NA AVENIDA AFONSO PENA. FOTO: Alex de Jesus/ O Tempo 29.05.14

A greve dos servidores públicos municipais afetou as atividades de mais da metade das escolas municipais de Belo Horizonte. De acordo com o balanço divulgado pela prefeitura da capital, nesta quinta-feira (29), houve paralisação parcial em 125 delas, o que corresponde a 66% do total.

Ainda segundo o balanço, nove escolas enfrentaram paralisação total e 54 funcionaram normalmente. Houve paralisação parcial em 46 Unidades Municipais de Educação Infantil (Umeis) e 31 funcionaram normalmente. Apenas quatro interromperam totalmente as atividades.

A PBH informou que nenhuma unidade de saúde deixou de funcionar nesta quinta por causa da greve e que tem acompanhado o cumprimento da escala mínima de 70% na área, conforme determinação da Justiça.

Protesto

Na manhã desta quinta-feira, servidores em greve fizeram nova assembleia na porta da prefeitura e decidiram rejeitar a última proposta da administração municipal, de 7% de reajuste salarial, a ser pago em duas etapas, uma de 3,5% na folhas de julho e outra de igual valor em novembro deste ano. Para o vale-alimentação, o aumento previsto é de R$ 17 para R$ 18,50, um reajuste de 8,82%.

Segundo a prefeitura, a proposta está mantida apenas até esta sexta-feira (30). Caso não haja acordo, as negociações devem recomeçar do zero. 

Leia tudo sobre: sindibelgreveescolas