Marcelo desconversa sobre protestos e se concentra no futebol

Lateral não se apresentou em um hotel no Rio, na segunda, quando os jogadores da seleção foram hostilizados por professores em greve

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Para Marcelo, foco dos jogadores da seleção brasileira deve estar apenas no futebol
Gaspar Nóbrega/VIPCOMM
Para Marcelo, foco dos jogadores da seleção brasileira deve estar apenas no futebol

TERESÓPOLIS, RJ - O lateral esquerdo Marcelo foi o último jogador a se apresentar na Granja Comary, onde está o centro de treinamento da CBF, em Teresópolis. Ele ganhou um dia a mais para se apresentar, chegando nesta terça-feira (27), para comemorar o título do Real Madrid na Liga dos Campeões, conquistado sábado (24).

Por isso, ele não se apresentou em um hotel no Rio, na segunda-feira (26), quando os jogadores da seleção foram hostilizados por professores em greve que pedem, entre outras coisas, reajuste salarial.

"Eu cheguei no aeroporto do Galeão [terça] e fui aplaudido e recebi incentivos. Agora, cada um tem sua opinião. Se acha que tem que protestar, tem que protestar. Nossa função, é jogar bola e dar alegria ao povo brasileiro. Não dá para fazer muito mais. Temos que jogar nossa bolinha e ajudar um pouco. Nosso objetivo é esse. Ganhar título para dar alegrias", disse Marcelo em entrevista coletiva nesta quinta-feira (29), em Teresópolis.

Ele disse também que não se sente unanimidade na lateral esquerda, e que precisa respeitar Maxwell, seu reserva.

"Não me sinto confortável. Sempre quero mais, quero brigar e representar bem o meu país. Muita gente dizia que eu era o novo Roberto Carlos, mas não acho isso. Ele é meu ídolo e quero seguir os passos dele", disse o jogador.