Governo recorre às estatais para cumprir meta fiscal

O saldo das contas do Tesouro Nacional -a diferença entre as receitas e os gastos- no período foi de R$ 29,6 bilhões; meta de superavit primário era de R$ 28 bilhões

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Com o ritmo da economia em desaceleração, o governo federal teve que recorrer às estatais para cumprir sua meta fiscal para o quadrimestre.

O saldo das contas do Tesouro Nacional -a diferença entre as receitas e os gastos- no período foi de R$ 29,6 bilhões. A meta de superavit primário era de R$ 28 bilhões.

Nos primeiros quatro meses do ano, o Tesouro extraiu R$ 8,2 bilhões em dividendos -parcela dos lucros das estatais-, ante R$ 1 bilhão no mesmo período do ano passado, um aumento de 716%. De janeiro a abril do ano passado, o resultado primário do governo foi de R$ 27,3 bilhões.

As despesas federais com pessoal, programas sociais, custeio administrativo e investimentos tiveram alta de 10% nos quatro primeiros meses, somando R$ 314,7 bilhões.

As receitas, por sua vez, apresentaram um crescimento de 10,7%, somando R$ 418 bilhões.

Não fossem os dividendos incluídos na conta, as despesas teriam crescido a uma taxa maior do que as receitas, comprometendo a poupança feita pelo governo para honrar com o pagamento dos juros da dívida pública.

De acordo com a meta do governo, o Tesouro Nacional deverá fazer uma poupança de R$ 80,8 bilhões até o final do ano. Estados e municípios ficarão responsáveis por poupar R$ 18,2 bilhões.

ABRIL

Só em abril, a poupança do governo para pagamento da dívida foi de R$ 16,6 bilhões, valor 422,2% maior do que o verificado em março.

As receitas somaram R$ 112,3 bilhões, enquanto as despesas foram de R$ 79,4 bilhões.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave