Conar veta 'ordinária' em comercial de Compadre Washington

Mulheres que se sentiram ofendidas com o uso do termo em propaganda reclamaram junto ao órgão, que deu razão às consumidoras

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

undefined

A propaganda do site ‘Bom Negócio.com”, em que há a participação do cantor Compadre Washington, do grupo É o Tchan, deve sofrer alterações. Isso porque a publicidade, que ficou conhecida pelo uso do jargão “sabe de nada, inocente”, recebeu reclamações de consumidores, em sua maioria mulheres.

Na última terça-feira (27), o Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar) acatou as denúncias dos cerca de 50 reclamantes e solicitou ao site que faça modificações.

Na peça publicitária, que está sendo veiculada em canais abertos de televisão e já foi vista por mais de 8 milhões de vezes na internet, o cantor aparece sob um aparelho de som e fala para uma mulher que está entrando em uma piscina: “Eta mainha, danada. Que abundância, meu irmão. Assim você vai matar papai, viu? Esse aí que é seu marido, é? Sabe de nada, inocente. Vem, vem, ordiná…”

Antes da frase ser completada, um homem, que toma sol no local, teria entrado no site e colocado o aparelho de som à venda, e por isso, ele desaparece. O trecho em que o compadre Washington quase chama a mulher de “ordinária” foi considerado ofensivo às mulheres, pelo grupo de consumidores que reclamou.

Segundo a assessoria de imprensa do Conar, o órgão é fundado pelo princípio da autorregulação e os anunciantes atendem espontaneamente as recomendações feitas. Desde que o Conar foi criado, há 36 anos, não há registros de nenhum caso em que a empresa não seguiu a orientação dada, de acordo com a assessoria.

Caso o site não faça as mudanças, o Conar pode entrar em contato com os veículos de comunicação e orientar que eles não veiculem mais a publicidade. A assessoria explicou ainda que o volume de reclamações não é fator determinante para que as denúncias sejam analisadas. Já existiram casos em que houve apenas uma reclamação e o Conar também deu razão ao consumidor. O órgão não aceita denúncias anônimas. Para fazer uma reclamação no Conar é só acessar a página do órgão na internet e clicar no botão “faça sua reclamação sobre propaganda”, na parte superior da página.

A assessoria de comunicação do site ‘Bom Negócio.com” informou que a empresa aguardará a notificação do órgão para tomar as devidas providências. O comercial ainda continua sendo veiculado, sem as modificações.