Lagoa limpa até fim do ano

Promessa é da PBH, que assinou contrato de R$ 100 mi com BDMG para várias obras na cidade

iG Minas Gerais | Joana Suarez |

Limpeza. Ritmo do trabalho de desassoreamento – retirada de sedimentos do fundo da lagoa – teria sido retomado, segundo a PBH
Alex de Jesus - 23.5.2014
Limpeza. Ritmo do trabalho de desassoreamento – retirada de sedimentos do fundo da lagoa – teria sido retomado, segundo a PBH

A Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) assinou nessa quarta contrato de R$ 100 milhões com o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG) para financiar obras de infraestrutura na capital. Do total desse recurso, R$ 34 milhões serão destinados à limpeza da lagoa da Pampulha, que já contava com R$ 176 milhões frutos de empréstimo internacional. A nova promessa é que os trabalhos sejam concluídos até o fim deste ano.  

O contrato de financiamento assinado pelo governador Alberto Pinto Coelho e pelo prefeito Marcio Lacerda prevê que o restante da verba vai para projetos de mobilidade na área central e outra obra contra inundações na região Leste. “São projetos importantíssimos para melhorar o tráfego da nossa capital e resolver questões ambientais, como o desassoreamento da lagoa”, disse o governador.

No início do ano, a PBH adquiriu empréstimo de R$ 176 milhões com o Banco do Brasil de Viena, na Áustria, para o tratamento da lagoa. Segundo Lacerda, o dinheiro está guardado em uma conta que é destinada apenas para esse trabalho. “Cerca de R$ 100 milhões vão para o desassoreamento, e o restante será aplicado em limpeza da água”, disse o prefeito.

Ainda segundo ele, a verba estadual virá para reforçar o orçamento. “Serão feitos tratamento de choque na lagoa e uma série de outras intervenções urbanísticas que permitam às pessoas desfrutarem melhor do entorno da Pampulha”, completou Lacerda.

Tratamento. Conforme a prefeitura, para fazer a limpeza da água, é preciso aguardar que a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) conclua o tratamento do esgoto da capital e de Contagem, na região metropolitana, para eliminar a carga orgânica lançada na lagoa. A companhia trabalha na ampliação do sistema de esgotamento sanitário da bacia da Pampulha, com a execução de 37 obras, como implantação de redes coletoras. A previsão inicial de conclusão, dezembro do ano passado, foi adiada para o próximo mês.

Histórico. A prefeitura informou que já havia investido R$ 300 milhões em ações de saneamento na lagoa da Pampulha. Hoje o volume de sedimentos depositados anualmente no leito é de 100 mil m³. Na década de 90, eram 380 mil m³ a cada ano, conforme o Executivo municipal.

Região Leste Obras. Do total da verba, R$ 16 milhões serão para tratar os córregos do Navio e dos Joões, na região Leste, com construção de avenida sanitária. O objetivo da obra, que vai custar R$ 42 milhões, é reduzir inundações.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave