Lojistas reclamam que viatura em praça fica sem policial

iG Minas Gerais | Luciene Câmara e Thaís Pimentel |

Desde que a praça da Savassi passou por revitalização, algumas cenas se tornaram rotina no local. Uma delas é ver pessoas tomando banho ou lavando roupas nas fontes d’água instaladas no espaço. Outra é a presença de uma viatura da Polícia Militar (PM) estacionada na praça, porém, sem militar no veículo ou por perto, conforme relatos de lojistas e pedestres. O comerciante Felipe Hofman, 27, contou que neste ano presenciou um furto em um ponto de ônibus do bairro e, ao correr à praça para acionar a polícia, encontrou a viatura vazia. “Falta policiamento aqui e em todo o Brasil”, afirmou Hofman.  

O aposentado Márcio Barreto, 69, disse que já viu pessoas urinando na praça, sem que ninguém fizesse algo para coibir. “É muito descaso. Hoje, fico inseguro de passear com minha família pelo bairro”, relatou.

O comandante da 4ª Companhia da PM, que atende à região, major Marcellus Machado, disse que sempre que uma viatura estaciona na praça, há policiais por perto fazendo atendimento à população. A orientação, segundo ele, é parar a viatura e fazer rondas a pé pelo bairro. Ele informou também que, quando alguém é visto tomando banho em praça pública, a PM faz um trabalho social de abordar e orientar o cidadão.

Para Luis Flávio Sapori, professor do curso de Ciências Sociais e coordenador do Centro de Estudos e Pesquisa em Segurança Pública (Cepesp) da PUC Minas, a medida que será realizada hoje é improdutiva. “Não acho que essa seja a melhor solução. A criação de um conselho comunitário local, com moradores e lojistas, surtiria mais efeito. Me parece uma medida burocrática. Como se fosse um escritório de reclamações”. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave