Procurado pela Interpol deve ser transferido para presídio federal

Suspeito estava sendo procurado por tráfico internacional de drogas; Homem foi preso no domingo (25), encaminhado para o presídio de Andradas, na segunda-feira (27), e aguarda para ser encaminhado à Polícia Federal

iG Minas Gerais | CAMILA KIFER |

Suspeito era procurado pela Polícia Federal e pela Interpol
Divulgação / Polícia Civil
Suspeito era procurado pela Polícia Federal e pela Interpol

Jean Carlos Coimbra, de 34 anos, preso pela Polícia Civil de Poços de Caldas, no Sul de Minas, no domingo (25), sob a acusação de tráfico internacional de drogas, deve ser transferido para um presídio federal nos próximos dias, a data ainda não foi definida. Conhecido como Coquinho, o suspeito está detido no presídio da cidade de Andradas, desde segunda-feira (27) e aguarda para ser interrogado pela Polícia Federal. Ele era procurado pela Polícia Federal e pela Interpol.

A operação que cominou na prisão do suspeito foi realizada pelo Delegado da Polícia Civil Cleisson Brenes e os investigadores Sinval García e Barbara Bernardes. O mandado de busca e apreensão foi expedido pela PF por meio da Operação Cavalo de Fogo que prendeu 29 pessoas, em abril deste ano.

O suspeito foi abordado, no domingo, no momento em que transitava de carro pelas ruas da cidade. Uma viatura descaracterizada abordou o veículo, mas, Coquinho conseguiu fugir. Ele foi interceptado após andar três quarteirões.

De acordo com o Investigador Investigador Gregório Henrique, só foi possível chegar até o suspeito depois da apreensão de uma caminhonete no nome dele, em 2013. O veículo transportava 200 quilos de maconha. “Recebemos informações da PF relatando que uma caminhonete estaria saindo do município de Laranjeiras com destino a Belo Horizonte. O veículo estaria carregada com cebolas, porém, a droga estaria escondida embaixo do carregamento”, declarou o investigador.

Uma grande operação foi montada na época, com o nome Armagedom, coordenada pelo delegado regional de Poços de Caldas, Gustavo Henrique Manzolli. A operação contou com a participação do delegado Ernani Perez Vaz da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado, do Inspetor Romualdo de Souza, e dos investigadores Joel Fernandes de Souza, Gregório Henrique, Geovani Juventino, Rubens Castilho, Heverton Araújo e Leandro Milan. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave