"Se houver manifestação, não será como no ano passado", diz secretário

Para Rômulo Ferraz, titular da Secretaria de Estado de Defesa Social de Minas Gerais, 99% das ações de agora são de entidades de classe que estão aproveitando a Copa para fazer reivindicações

iG Minas Gerais | Thiago Nogueira |

CIDADES - BH/MG. MANIFESTACOES COPA DAS CONFEDERACOES, BAIRRO SAO FRANCISCO.
Jogo entre Tahiti X Nigeria no Mineirao
Manifestação antonio carlos
FOTO: MARIELA GUIMARAES / O TEMPO 17/06/2013
FOTO: MARIELA GUIMARAES
CIDADES - BH/MG. MANIFESTACOES COPA DAS CONFEDERACOES, BAIRRO SAO FRANCISCO. Jogo entre Tahiti X Nigeria no Mineirao Manifestação antonio carlos FOTO: MARIELA GUIMARAES / O TEMPO 17/06/2013

As forças de segurança do Estado não acreditam em grande número de manifestante nas ruas, tal como ocorreu na Copa das Confederações.

“Se houver manifestações, não será como no ano passado. Agora, nitidamente, a concentração tem tido um pequeno volume; 99% são entidades de classe que estão aproveitando o evento para fazer demandas e reivindicações”, declarou, nesta quarta-feira (28), o secretário de Estado de Defesa Social, Rômulo Ferraz.

O secretário disse ainda que, por enquanto, não há a necessidade de convocação da Força Nacional para atuar nas ruas da capital mineira.

“Na Copa das Confederações, nós solicitamos esse apoio, que foi muito importante, mas, neste momento não há nenhuma perspectiva de reforço, e sim uma articulação com o Exército e a Polícia Federal para enfrentamento de questões pontuais”, destacou Ferraz.