Falta de medicamentos revolta aposentada

Dona de casa gastou dinheiro do próprio bolso para comprar dois medicamentos, que devem ser distribuídos gratuitamente

iG Minas Gerais | Evandro Teles |

Dona de casa não conseguiu pegar medicamentos para pressão no posto
João Lêus
Dona de casa não conseguiu pegar medicamentos para pressão no posto

A falta de dois medicamentos para controle da pressão arterial em um posto de saúde no bairro Jardim Petrópolis, em Betim, na região metropolitana de Belo Horizonte, irritou a aposentada Cleuza Tiaga de Faria Domingos, de 70 anos.

“Tive que gastar dinheiro de minha aposentadoria, que já é pouca, para adquirir Besilato de Anlodipino de 10 miligramas e Furosemida de 40 miligramas em uma farmácia, pois a minha pressão já estava ficando descontrolada. Não são só esses remédios que estão faltando na Unidade Básica de Saúde do Petrópolis. Falta médico. A saúde em Betim está abandonada”, disse.

Cleuza revelou que o problema também afeta outros moradores. “Muitas amigas minhas estão passando aperto pois não conseguem o remédio no posto nem tem dinheiro para comprá-lo. Na minha casa, o meu marido também passa por dificuldade, pois acabou o remédio que ele precisa tomar após sofrer uma trombose e ele é muito caro. Não temos condições de comprá-lo. Difícil é aceitar que para o pobre falta tudo, mas para os amigos do prefeito, como o ex-secretário Carlos Abdalla, a prefeitura tem R$ 43 mil para comprar remédio para ele”, disse.

Além da falta de remédio, os usuários do sistema público de saúde de Betim sofrem com a greve de 29 dias dos servidores municipais, que cobram melhores condições de trabalho e reajuste de salário à prefeitura.

Os médicos, que já fizeram uma paralisação de advertência de 48 horas na semana passada, vão se reunir hoje para definir o rumo da categoria, que critica a falta de diálogo do Executivo Municipal. O Sindicato dos Médicos de Minas Gerais não descarta nova paralisação da categoria nos dias 3 e 4 de junho caso o impasse continue.

A prefeitura informou que o Anlodipino não está mais sendo fornecido para a rede SUS, e que o Furosemida não está em falta e será reposto na UBS do Petrópolis ainda hoje. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave