Lipe dá uma de espião antes do confronto contra a Polônia

Ponteiro garante que passou algumas dicas para Bernardinho sobre o adversário desta quinta-feira pela Liga Mundial

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

O ponta Lipe jogou ontem, como titular, pela primeira vez na Liga Mundial
ALEXANDRE ARRUDA - CBV
O ponta Lipe jogou ontem, como titular, pela primeira vez na Liga Mundial

Um dos jogadores da seleção brasileira de vôlei masculino conhece bem a Polônia, adversário desta quinta e sexta pela segunda rodada da Liga Mundial. O Brasil entra em quadra às 14h45, com transmissão ao vivo da Rede Globo. 

O ponta Lipe atuou no país europeu na penúltima temporada e sabe que o time brasileiro terá grandes dificuldades diante de um time recheado de jogadores de alto nível.

Alguns dos pontos fortes do time polonês também podem servir de arma para o Brasil, que ainda busca a primeira vitória após perder os dois primeiros jogos para a Itália, em Jaraguá do Sul-SC.

"A experiência de estar lá fora ajuda um pouco. Estou o tempo inteiro em contato com eles enquanto jogo o Europeu e acompanho como eles estão jogando, o que estão fazendo de diferente, e isso é muito importante. Quanto mais informação o grupo tiver, melhor. Vejo que eles estão jogando com muita agressividade no saque e nós precisamos disso também”, indica o atleta, que na última temporada atuou pelo Galatasaray-TUR.

Mesmo no time turco, Lipe manteve a proximidade dos ex-companheiros durante os torneios continentais do Velho Mundo. Dicas e orientações para Bernardinho nunca são demais para minimizar os problemas que estarão no caminho do Brasil. 

Lipe se ausentou dos primeiros jogos por conta de lesão e agora está à disposição do treinador. Ele espera que a equipe tenha um melhor desempenho e possa somar os primeiros pontos em Maringá-PR. Ele garante que vai ajudar como for possível, dentro ou fora de quadra.

“Sempre fui muito agressivo no jogo e hoje estou mais próximo do estilo como se joga lá fora. Vi um time jogando bem e com alguns problemas de falta de entrosamento, já que tivemos pouco tempo para treinar. Sei que temos qualidade e que podíamos ter vencido a Itália, mas agora é outro momento. Sou mais alegre mesmo, todo mundo sabe, e vou tentar dar energia o tempo todo para o grupo”, comenta.