Tiago Lacerda diz que não-abertura da UFMG é 'prejuízo operacional'

Secretário de Turismo e Esportes afirmou que plano de mobilidade terá que ser mudado a menos de 15 dias da Copa do Mundo

iG Minas Gerais | THIAGO NOGUEIRA E DÉBORA FERREIRA |

COL e CBF, organizadores do amistoso, vão disponibilizar 1.500 vagas no interior do estádio
DENILTON DIAS/O TEMPO
COL e CBF, organizadores do amistoso, vão disponibilizar 1.500 vagas no interior do estádio

A notícia de que a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) não poderá ser utilizada como ponto de embarque e desembarque de torcedores durante a Copa do Mundo gerou insatisfação na Secretaria de Turismo e Esporte de Minas Gerais (SETES-MG). Durante apresentação do plano de segurança pública para o mundial, o secretário da Setes, Tiago Lacerda, disse que decisão foi um “grande prejuízo” e afirmou que plano de mobilidade terá de ser refeito em um curto espaço de tempo.

“Ontem (terça-feira) fomos surpreendidos com um grande prejuízo operacional para o torcedor da não abertura da UFMG para a operação de duas linhas especiais (que levariam as pessoas que têm ingresso para o Mineirão). O plano está sendo refeito a menos de 15 dias do evento e temos que nos mobilizar rapidamente, mas o prejuízo é para o torcedor, que terá de andar um pouco mais”, avaliou ele.

A intenção era utilizar o campus para que os ônibus vindos do centro, passando pela avenida Carlos Luz  e carregando os torcedores com os ingressos, utilizassem o local nos dias dos seis jogos em Belo Horizonte, mas a Reitoria e o Conselho Universitário não concordaram com a ideia. A UFMG cedeu o local apenas como espaço de hospitalidade, e abrigará um helicóptero para o caso de acidentes de natureza muito grave no Mineirão.

Agora, estuda-se a possibilidade de pelo menos passar com os ônibus por dentro da universidade, mesmo que não haja embarque e desembarque de passageiros. O plano de mobilidade para a Copa do Mundo será apresentado na semana que vem.