Ajuda não é apenas para a vida sexual

iG Minas Gerais |

Nova York. Anthony Recenello destaca que é comum que homens contratem pessoas para auxiliar em seu desenvolvimento físico; por que não fazer o mesmo para o desenvolvimento social, onde as recompensas são potencialmente maiores? Muito embora pareça estranho pagar por esse tipo de serviço, ele acredita que logo essa mentalidade irá mudar.

“Fiquei impressionado com o cuidado, com a vontade de estar lá para fazer sua parte”, afirmou Gustavo Sanchez, 26, que se tornou um dos primeiros clientes de Recenello.

“Seja qual for a parte de sua vida que precise de um incentivo, ele vai estar lá para ajudar”, afirmou. Seu programa começou com técnicas para se aproximar das mulheres, passando gradualmente para uma assistência contra a depressão, que levou Sanchez a passar por um tratamento médico. “Ele não ajuda a gente a conseguir sexo”, afirmou Sanchez. (JL/NYT)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave