Fisioterapia pré e pós-parto traz qualidade de vida para mãe e bebê

Gestantes consideradas de risco (diabetes gestacional e hipertensão) também podem se submeter à fisioterapia pré-parto; para isso, porém, é necessário supervisão criteriosa do obstetra

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

ANGELO PETTINATI
undefined

A fisioterapia pode proporcionar mais qualidade de vida para a mãe e o bebê, além de contribuir para melhorar a circulação sanguínea, o equilíbrio corporal e postural, como também prevenir transtornos circulatórios (inchaço), diminuir desconfortos intestinais, aliviar dores na coluna e músculos, entre outros. A atenção do fisioterapeuta no pré-parto auxilia a mulher a lidar com as adaptações fisiológicas ocorridas durante a gravidez e no preparo da musculatura do assoalho pélvico, que será utilizada durante o parto.

Segundo a fisioterapeuta Luciana Mesquita, especialista da área, do Serviço de Fisioterapia do Hospital Vila da Serra, a fisioterapia deve ser iniciada nos primeiros meses de gravidez, para a realização de um trabalho completo de prevenção e adaptação do corpo e alterações durante a gravidez. “Os exercícios devem ser mantidos durante todo o período e de acordo com o tempo gestacional”, completa.

A fisioterapia pós-parto é um programa de exercícios individuais e adaptados para cada mãe, com o objetivo dela readquirir a forma física e evitar problemas a curto e longo prazo, como a fraqueza abdominal e dor na coluna.

Para a fisioterapeuta, a duração dos exercícios varia de 30 a 60 minutos de acordo com proposta terapêutica e tempo disponível da gestante, numa frequência de 2 a 5 vezes por semana, também de acordo com as intensidades, variação dos exercícios e nível de condicionamento físico e muscular da mãe antes da gravidez.

As gestantes consideradas de risco (diabetes gestacional e hipertensão), afirma  Luciana Mesquita, “também podem se submeter à fisioterapia pré-parto sob supervisão criteriosa do obstetra. As turmas devem ser reduzidas para que os exercícios sejam direcionados adequadamente para cada gestante, que deve ser orientada quanto à postura em suas atividades diárias e no trabalho para alívio de desconfortos, como dores lombares, inchaço e câimbra, além de ajudar na preparação para o parto.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave