Joana Havelange afirma que 'o que era para ser roubado, já foi'

Diretora do COL afirmou, pelo Instagram, que protestos deveriam ter sido feitos antes do atual momento

iG Minas Gerais |

Até quem está ligado diretamente à organização da Copa do Mundo admite o desinteresse dos responsáveis com o uso correto do dinheiro. Nesta terça-feira, Joana Havelange, diretora do Comitê Organizador Local da Copa do Mundo (COL), filha do ex-presidente da CBF Ricardo Teixeira e neta de João Havelange, ex-presidente da Fifa, divulgou em seu Instagram uma mensagem polêmica.

Ela afirma que 'tudo que era para ser roubado já foi' e que irá torcer pela seleção na Copa do Mundo. Além disso, ela afirma que os protestos deveriam ter sido feitos bem antes do atual momento e que sua forma de protestar será nas urnas.

Confira o post completo.

“Não apoio, não compartilho e não vestirei preto em dia nenhum de jogo do Mundial. Quero que a Copa aconteça da melhor forma. Não vou torcer contra, até porque o que tinha que ser gasto, roubado, já foi. Se fosse para protestar, que tivesse sido feito antes. Eu quero mais é que quem chegue de fora, veja um Brasil que sabe receber, que sabe ser gentil. Quero que quem chegue, queira voltar. Quero ver um Brasil lindo. Meu protesto contra a Copa será nas eleições. Outra coisa, destruir o que temos hoje, não mudará o que será feito amanhã”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave