O cão de guarda

iG Minas Gerais | Diego Costa |

ERNESTO CARRIÃO/ESTADÃO CONTEÚDO - 24.11.2013
undefined

Ele é paulista, de Pindamonhangaba, começou a jogar no futebol alagoano e despontou para o mundo em terras alemãs, onde vive desde 2007. Mas foi com um jeitinho mineiro que o volante Luiz Gustavo “comeu pelas beiradas”, chegou à seleção brasileira e está convocado para a Copa do Mundo.

Aos 26 anos, Luiz Gustavo Dias deve ser titular no time de Felipão no meio-campo. Vai ser o famoso “volantão” da equipe de Scolari. Se voltássemos ao início dos anos 2000, o menino ainda adolescente, em São Paulo, talvez não tivesse a mínima ideia de que chegaria a uma Copa do Mundo no Brasil, ainda mais em tal posição. Afinal, “Guga”, como era conhecido naquele tempo, era atacante. Precisou dar uns passos para trás em campo a fim de seguir em frente na carreira.

Antes disso, o jogador passou por um drama marcante em sua vida. Aos 16 anos, Luiz Gustavo perdeu a mãe, vítima de um infarto. Ele então prometeu, no velório dela, que iria longe na vida. E foi.

Atuou pelo Corinthians de Alagoas e pelo CRB, no mesmo Estado. Após destaque no futebol alagoano, chegou ao Hoffeinheim-ALE, onde jogou de 2007 a 2010. Em 2011, foi contratado pelo poderoso Bayern de Munique. Participou da temporada perfeita dos bávaros de 2012/2013. E foi pelo gigante clube alemão que Luiz Gustavo se apresentou aos brasileiros e chegou à seleção. Com Felipão, atuou como titular na conquista da Copa das Confederações.

Atualmente, joga pelo Wolfsburg, o terceiro clube alemão de sua carreira.

Vale tudo pela vaga na seleção

Se com Jupp Heynckes, técnico já aposentado, Luiz Gustavo era mais aproveitado no Bayern de Munique, a chegada de Pep Guardiola ao clube alemão significou o fim do ciclo do atleta no time. Diante de uma disputa acirrada em um elenco repleto de estrelas, ele sabia que teria poucas chances de jogar. E Felipão já havia advertido que não aceitaria atletas sem ritmo de jogo. Precisava fazer alguma coisa, pois a vaga na seleção brasileira poderia ficar em xeque. A solução veio ainda no início da temporada 2012/2013 e sem que o jogador precisasse deixar a Alemanha. Não demorou muito, e o volante brasileiro aceitou a proposta do Wolfsburg, no qual é titular e garantiu a convocação para o Mundial deste ano.

Ponto forte. Jogador seguro e com forte marcação em campo. Além disso, joga bem como um terceiro zagueiro

Ponto fraco. Possui um temperamento explosivo, que pode atrapalhar. Já foi expulso três vezes e levou nove cartões amarelos na atual temporada

Lance inesquecível. Golaço marcado no amistoso contra a Austrália, no ano passado. Ele acertou um forte chute, no ângulo. O Brasil venceu por 6 a 0, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave