A voz da Massa

iG Minas Gerais |

Saudações alvinegras! Um dos principais motivos para o frustrante empate do Galo contra o Criciúma foi o fato de o nosso time ter insistido demais nas jogadas pelos lados do campo com os laterais. Mas daí, você, amigo leitor, pode perguntar se isso não é o certo a se fazer – abrir o jogo com os laterais para facilitar o ataque. Sim, é certo, mas, quando se tem jogadores eficientes para tal estratégia. Acontece que os nossos laterais são limitados, às vezes não chegando a fazer nem o básico da posição, quanto mais dar suporte para esse tipo de jogada. O certo era tentar uma tabela rápida pelo meio, uma penetração dos meias e volantes, ou mesmo alguma jogada individual para abrir a retranca do Criciúma. Mas o Galo não fez isso. Como consequência, perdeu duas posições em vez de ganhar cinco. Agora terá que descontar tudo em cima do CBFlu, o próximo adversário.

A voz Celeste

O maior de Minas conseguiu uma vitória que poucos clubes no Campeonato Brasileiro vão conseguir. Bateu o Internacional, por 3 a 1, na casa do adversário. Todos nós sabemos que o Colorado é um dos favoritos ao título. Foi uma vitória que fez a nação celeste relembrar o ano de 2013. No segundo tempo do jogo, Marcelo Oliveira conseguiu consertar o posicionamento do meio campo e passamos a dominar. Assim ficou mais fácil os contra-ataques saírem. Essa transformação do primeiro para o segundo tempo vem acontecendo frequentemente com o Cruzeiro e mostra que o treinador tem o time nas mãos e que seus comandados fazem em campo o que ele pede. Tenho que parabenizar a recuperação de Marcelo Moreno, que chegou, foi conquistando seu espaço e se tornou artilheiro do Brasileiro. Vai fazer falta nas próximas partidas, pois estará com a seleção boliviana.

Avacoelhada

Com o objetivo de conquistar mais três pontos, o América joga contra o Atlético-GO, às 21h50, no Serra Dourada. As maiores dimensões do gramado poderão dificultar a compactação do sistema defensivo do adversário e facilitar os princípios básicos de um ataque efetivo. A maior amplitude aumenta os espaços para as infiltrações pela intermediária. Andrei ou Pablo deve jogar mais próximo de Mancini a fim de dividir a responsabilidade da criação das jogadas e finalizações de longa distância. Os laterais precisam ser mais agressivos. Elsinho e Gilson executarem as ultrapassagens, triangulações e cruzamentos precisos da linha de fundo. Obina jogar adiantado para explorar a profundidade e finalizar as assistências recebidas. Willians, Ricardinho, Henrique e Carlos Renato são opções de velocidade. Blitz no Itatiaia Radio Bar, na Pium-i, 620.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave