Investimento para otimizar

Museu das Minas e do Metal vai passar por melhorias culturais e de infraestrutura para atrair um público maior

iG Minas Gerais | Lucas Simões |

Obras. Desde que o museu foi inaugurado, este será o segundo conjunto de obras pelo qual passa
ALEXANDRE GUZANSHE/O TEMPO
Obras. Desde que o museu foi inaugurado, este será o segundo conjunto de obras pelo qual passa

A nova fase do Museu das Minas e do Metal foi inaugurada oficialmente ontem, em solenidade realizada no Prédio Rosa do Circuito Cultural da Praça da Liberdade. Agora sob o patrocínio da Gerdau, o espaço, que há quatro anos apresenta a cultura da mineração e da metalurgia ao público, vai receber uma série de melhorias culturais e de infraestrutura nos próximos quatro anos, orçadas inicialmente em cerca de R$ 40 milhões. Anteriormente, quem gerenciava o MMM era Grupo EBX, de Eike Batista.

Entre as primeiras mudanças, foi aberto à visitação ontem o Espaço Gerdau, uma sala interativa com painéis digitais que discorrem sobre o desenvolvimento industrial em três pilares – econômico, ambiental e social. Segundo o diretor do Instituto Gerdau, José Paulo Soares Martins, até 2015 serão investidos R$ 15 milhões em projetos culturais, além de R$ 5 milhões anuais até 2017, para reformas de infraestrutura, como iluminação, pintura interna e abertura de novas salas, além de outras ações.

“Nessa primeira fase, vamos usar os recursos para investirmos em curadorias mais apuradas e também em outros projetos que estão sendo estudados. Em um primeiro momento desse processo, pretendemos abrir uma exposição sobre o aço, que é uma cultura imprescindível aos mineiros”, avalia.

Após o antigo prédio onde funcionava a Secretaria de Estado da Educação passar por reforma e pintura externa para abrigar o Museu das Minas e do Metal, logo na inauguração, em 2010, esse é o segundo conjunto de intervenções com vistas à otimização propostas para o espaço.

A secretária de Estado de Cultura, Eliane Parreiras, avalia que as novidades vão aproximar os mineiros da história da mineração e da metalurgia de uma forma mais interativa e mais efetiva.

“Com os novos investimentos, teremos mais interatividade e facilidade para entender a história dessa cultura. São avanços para atrair as pessoas – começamos pela entrada gratuita no museu, que estabelecemos desde o ano passado”, frisou.

Para celebrar a fase do agora MM Gerdau, a cantora Fernanda Takai apresentou, ao lado da Orquestra de Ouro Preto, uma palhinha do show que fará na praça da Liberdade, no próximo dia 7 de junho, como convidada do I Encontro Mineiro do Patrimônio Cultural. “Meu pai era geógrafo, então sinto uma ligação muito forte com esse museu. É mais que um prazer poder ver esse lugar crescer”, disse a cantora.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave