Jovem forja o próprio sequestro para tentar reatar com ex-namorada

Caso aconteceu em Contagem; homem chegou a mandar mensagem para mãe como se fosse um dos sequestradores; ele pode ser indiciado por falsa comunicação de crime

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

Um homem de 18 anos pode responder por falsa comunicação de crime após forjar o próprio sequestro, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte, para tentar reatar o namoro com a ex-namorada. Ele será ouvido nesta segunda-feira (26) na Delegacia de Desaparecidos da capital mineira.

O sofrimento da família de Deyvisson Ferreira Martins começou na última quinta-feira (21) quando ele saiu de casa, no bairro Glória, para trabalhar e não retornou. Por meio da assessoria de imprensa da Polícia Civil, o delegado Thiago Paiva contou que, durante a noite, a mãe do jovem recebeu uma mensagem em seu celular, mandada do aparelho do filho, informando que ele havia sido sequestrado por pessoas que não gostavam dela e sua ex-nora, que era namorada de Martins.

Ainda no texto, os “sequestradores” afirmavam que, como vingança, o mataria e, no sábado (24), mandariam uma outra mensagem informando onde o corpo havia sido jogado. Os familiares do homem foram até a delegacia na sexta-feira (23) e, no momento em que prestavam queixa do desaparecimento, um irmão do jovem, que estava em casa, recebeu uma ligação do próprio Martins contando que seria morto, mas, antes disso, os criminosos haviam deixado ele ligar para se despedir da família.

Ainda enquanto estava na delegacia, A mãe recebeu uma outra mensagem que informava a morte do filho e que o corpo havia sido jogado em uma lagoa de Nova Contagem. O delegado desconfiou da história e chamou a ex-namorada da “vítima” para prestar esclarecimentos.

A mulher contou que costumava ir na mesma lagoa enquanto mantinha um relacionamento amoroso com o homem. Além disso, a jovem disse que o ex-namorado era chantagista e falava que, se alguma coisa acontecesse com ele, ela ficaria com sentimento de culpa.

Diante das informações, um dos policiais civis mandou uma mensagem do celular da mulher para o aparelho de Martins. No texto, “ela” escreveu que tinha pensado melhor e que gostaria de reatar o namoro. Após o SMS, o homem apareceu em casa sem nenhum ferimento.

Após o depoimento de Martins, o caso será transferido para a 2ª Delegacia de Contagem e caberá ao delegado decidir se ele será indiciado. A pena para comunicação falsa de crime pode chegar a seis meses de detenção. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave