Campeonato é também uma chance de retorno

iG Minas Gerais | Lucas Buzatti |

Atrações no próprio continente também têm atraído muitos brasileiros que pretendem ficar bem longe da Copa do Mundo. Uma das preferidas é o Chile e sua Cordilheira dos Andes. A Argentina também é uma pedida constante tratando-se de turistas brasileiros
Jaime Bórquez/Reprodução CDBV - 4.7.2007
Atrações no próprio continente também têm atraído muitos brasileiros que pretendem ficar bem longe da Copa do Mundo. Uma das preferidas é o Chile e sua Cordilheira dos Andes. A Argentina também é uma pedida constante tratando-se de turistas brasileiros

Apesar da alta procura por viagens internacionais durante o Mundial, muitos brasileiros que vivem no exterior estão fazendo o caminho inverso. É o caso da publicitária Camila Maria Rezende, 29, que mora em Huntington Beach, nos Estados Unidos, há dois anos. Ela volta para Belo Horizonte em junho para curtir a Copa e, principalmente, para se casar com o noivo, Javier de Castro, que é espanhol, no dia 5 de julho.  

“Nós dois gostamos muito de futebol, e com a chance tanto do Brasil quanto da Espanha de serem campeões, achamos que seria uma boa”, conta. Apesar de animada, Camila ainda vê o Mundial com algumas reservas. “Vi de longe a onda de protestos, a violência, o abuso da Fifa e os gastos absurdos de dinheiro público com a Copa. Preciso confessar que me questionei, várias vezes, se fiz bem em escolher me casar em meio à Copa”, conta.

Por sua vez, a jornalista Raquel Bellini, 25, que mora no Panamá e virá ao Brasil como correspondente de uma emissora de televisão, achou os preços exorbitantes. “Hotéis, passagens aéreas, comida, aluguel de carro. Tudo está muito caro. As emissoras estão encontrando dificuldades para enviar uma equipe maior justamente por isso”, explica. Por outro lado, ela está empolgada. “Além de participar da Copa, será uma boa oportunidade para rever os amigos, a família, e matar a saudade desse país lindo”. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave