Esperança em manter um ritual

iG Minas Gerais | Thiago Prata |

O sentimento nacionalista quando o assunto é o futebol está semeado na alma do mineiro e cruzeirense Leonardo Anchieta, de 33 anos. O carinho e a torcida dele pela seleção brasileira vêm de berço e o acompanham sempre quando a equipe verde-amarela está em campo. Tanta paixão pelo esporte motivou o profissional de marketing a ver o time canarinho em ação no Mineirão sempre que o combinado está presente em solo belo-horizontino. Uma tradição que começou em 1993, mas que pode ser quebrada no dia 8 de julho.

Caso o Brasil se classifique em primeiro lugar do grupo A e avance na competição, a seleção irá jogar a semifinal no Mineirão. Trata-se do único dos seis jogos da Copa a serem disputados no Gigante da Pampulha para o qual Leonardo não conseguiu adquirir a entrada. Isso quer dizer que ele pode deixar de ver um duelo do time tupiniquim na capital mineira pela primeira vez em 21 anos. Mas nem tal fato é capaz de abalar o entusiasmo do torcedor diante da Copa do Mundo que se aproxima. “Vou ficar com vontade de estar lá (na semifinal). De qualquer forma, se pintar alguma oportunidade de ir ao duelo da semifinal, eu irei. Estaria disposto a comprar o ingresso de outras pessoas desde que esteja dentro do meu orçamento”, afirma.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave