“Temos que trabalhar de forma mais profissional”

Renan Dal Zotto diretor de marketing da CBV

iG Minas Gerais |

A CBV ficou surpresa com os resultados informados pela auditoria?

Apenas fomos verificar as denúncias que apareceram. O trabalho da auditoria realmente confirmou algumas fragilidades na gestão, mas os contratos não estão mais em vigor. Um foi rescindido e o outro está suspenso. Já firmamos uma parceria com a Fundação Getúlio Vargas, já que vimos a necessidade de realizar um sistema de governança mais eficaz. Esse tipo de coisa não pode se repetir.

O modelo de gestão da CBV surpreendeu o senhor quando chegou à entidade há poucos meses?

Foram fatos isolados que aconteceram e tudo que foi divulgado não pode apagar a bela história que a CBV tem com o vôlei brasileiro. É preciso olhar para frente. Agora não é hora de ‘chorar o leite derramado’.

As informações divulgadas também não são definitivas sobre os culpados e possíveis ilegalidades, certo?

Sim, isso é importante de ser ressaltado. Agora não é momento de julgar ou pré-julgar ninguém. Temos que esperar os advogados analisarem toda a documentação recebida pela auditoria.

Quais aprendizados podem ser tirados disso tudo?

Agora fica claro que é preciso um modelo de gestão mais eficaz para evitar esses erros. Temos que saber que é preciso trabalhar de uma forma mais profissional. Estamos trabalhando para solucionar todos os problemas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave