Um mês após incêndio, polícia não sabe origem do fogo

Cinco crianças da mesma família morreram e casa ficou parcialmente destruída; acidente aconteceu no dia 26 de abril deste ano; delegado fará acareação entre pessoas que estavam na residência, para apurar negligência

iG Minas Gerais | Fernanda Viegas |

Após um mês do incêndio em uma casa de Barroso, na região do Campo das Vertentes, que matou cinco crianças, o inquérito do caso ainda não foi concluído. De acordo com o delegado responsável pelo caso, Alexsander Soares Diniz, o laudo da perícia, que deve indicar a origem do fogo, ainda não ficou pronto.

“O perito teve que pegar algumas opiniões no Instituto de Criminalística em Belo Horizonte e teve que voltar ao local do crime. Também aguardo o laudo de necropsia da menina mais velha que morreu”, explicou.

Diniz garantiu ainda que já terminou as oitivas, mas que ainda esta semana fará uma acareação entre as pessoas que estavam na casa, no dia do incêndio. Segundo o delegado, as investigações mostraram que além de Amanda Francisca Guimarães, 17, que é mãe de duas das crianças mortas, estavam na casa um adulto, uma adolescente irmã de Amanda e ainda outros dois adolescentes. A intenção é esclarecer se houve negligência dos adultos no socorro às vítimas.

As suspeitas da Polícia Civil quanto ao início do fogo são falha no sistema elétrico da casa ou que ao brincarem com fósforo na sala, as crianças tenham incendiado a casa.

Relembre o caso

As crianças morreram em um incêndio que destruiu parte de uma residência no dia 26 de abril, no município de Barroso, no Campo das Vertentes. Todas as vítimas tinham idade entre 1 e 5 anos e eram da mesma família. Três crianças morreram na hora, uma faleceu no hospital da cidade e a quinta, de 5 anos, foi transferida para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte, onde faleceu em seguida.

Os vizinhos relataram à polícia que ouviram uma explosão por volta das 9h40 e, em seguida, viram as chamas na casa da família. Amanda estava no quarto da frente da casa quando o fogo começou, e as crianças estavam no quarto dos fundos. Ela disse ao jornal "Barroso em Dia" que viu as chamas, mas não conseguiu retirar os filhos e sobrinhos do local.

Vítimas

Ketelin - 3 anos, filha de Amanda David - 1 ano e 6 meses, filho de Amanda Beatriz Vitória Guimarães - 2 anos, filha de Greice Kelly (irmã de Amanda) Gustavo Henrique Celestino Guimarães - 1 anos e 7 meses, filho de Greice Kelly Rafaela Camila Martins - 5 anos, filha de Greice Kelly  

Leia tudo sobre: incêndiocriançasfamíliaacareaçãoinquéritolaudo