Santos e Fla empatam sem gols e mantêm má fase

O empate entre os dois clubes reforça a má fase que ambos vêm apresentando no campeonato brasileiro;

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

A cada dia que passa, Oswaldo de Oliveira parece dar mais razões aos seus críticos. Neste domingo, o Santos fez mais uma partida ruim, desta vez no Morumbi, como mandante, foi dominado pelo defensivo time do Flamengo, e, por sorte, saiu de um empate em 0 a 0 pela sétima rodada do Brasileirão. O time carioca ainda pode reclamar de um pênalti não marcado no primeiro tempo e do gol incrível que Paulinho perdeu aos 47 do segundo tempo.

Já são três jogos sem vencer do Santos, que vinha de derrota para o Atlético-MG e empate com o Goiás. Com oito pontos, a equipe é a 12.ª do Brasileirão. Para piorar, Cícero pediu para não pegar o Flamengo para não fazer seu sétimo jogo no torneio e deverá ser negociado. Geuvânio foi expulso e está suspenso para pegar o Bahia, quinta-feira, em Feira de Santana (BA).

O Flamengo, por sua vez, está há quatro jogos sem vencer. Apesar da escalação defensiva, foi melhor que o Santos neste domingo. Com seis pontos, é o 15.º, apenas. Na quinta, joga de novo no Morumbi, desta vez como mandante, contra o Figueirense.

O jogo deste domingo, aliás, foi no Morumbi porque a Vila Belmiro e o Pacaembu estão cedidos à Fifa e o Santos acreditava num bom público no estádio do São Paulo. Contra o time de maior torcida do País, o frio atrapalhou e só pouco mais de 7 mil pessoas pagaram ingresso.

O JOGO

Sem Mena, Cícero, Gabriel, Thiago Ribeiro e Leandro Damião, Oswaldo de Oliveira teve que se virar com o que sobrou. Escalou Lucas Lima no meio e um ataque com três garotos: Victor Andrade, Geuvânio e Stéfano Yuri. Do outro lado, um Flamengo com três volantes e apenas um armador.

A expectativa para o jogo era baixa e os nos 15 primeiros minutos nenhum dos times criou nada. Quando o ataque do Flamengo funcionou, Paulinho lançou e Negueba errou feio o voleio. O atacante, que passou desapercebido pelo Morumbi na temporada passada, era o mais perigoso em campo. Até os 22 minutos, ainda arriscou um chute de longe e cruzou uma bola para Everton, sozinho, mandar para fora.

Enquanto o Santos sentia muito a falta de Cícero, o Flamengo lamentava não abrir o placar. Aos 30, Léo Moura foi lançado na área, matou no peito e foi claramente derrubado por Victor Andrade. Jaílson Macedo Freitas não marcou pênalti. Depois, aos 39, Luiz Antônio ainda mandaria uma bola no travessão, num chute de fora da área que resvalou na zaga e enganou Aranha.

O volante seria protagonista, ainda, de outro lance importante do primeiro tempo, quando discutiu rispidamente com seu colega Wallace. O árbitro teve que entrar no meio dos dois para evitar uma briga.

No segundo tempo, o Santos melhorou e passou a jogar a bola que faltou na primeira etapa. O clube logo teve direito a reclamar um erro do árbitro, que deu vantagem quando Chicão puxou Geuvânio na entrada da área, mas não deu a falta quando a jogada deu errado, logo em seguida. Também não deu o cartão amarelo.

A primeira boa jogada do Santos no jogo mostrou que os donos da casa estavam crescendo. Paulo Victor finalmente começou a trabalhar e pegou dois chutes difíceis, de Lucas Lima e Victor Andrade.

Com João Paulo no lugar de Samir, Ney Franco restabeleceu a ordem no Flamengo e o time voltou a mandar na partida. Paulinho teve duas boas oportunidades, mas perdeu ambas. Para ajudar, Geuvânio deu carrinho por trás em João Paulo e foi expulso, com razão.

Mesmo com um a mais, o Flamengo assustou pouco, até porque Ney Franco não tinha opções de banco: Everton deu lugar a Arthur e Negueba saiu para entrar Igor Sartori. Aos 47, Paulinho perdeu gol incrível, na pequena área, com Aranha batido.

FICHA TÉCNICA:

SANTOS 0 X 0 FLAMENGO

SANTOS - Aranha; Cicinho (Bruno Peres), Jubal, David Braz e Zé Carlos; Arouca, Renato e Lucas Lima; Victor Andrade (Diego Cardoso), Geuvânio e Stéfano Yuri (Jorge Eduardo). Técnico - Oswaldo de Oliveira.

FLAMENGO - Paulo Victor; Léo Moura, Wallace, Chicão e Samir; Luiz Antonio, Amaral, Márcio Araújo e Everton (Arthur); Paulinho e Negueba (Igor Sartori). Técnico - Ney Franco.

ÁRBITRO - Jaílson Macedo Freitas (BA).

CARTÕES AMARELOS - Jubal, David Braz (Santos) Amaral, Samir e Luiz Antônio (Flamengo).

CARTÃO VERMELHO - Geuvânio (Santos).

RENDA - R$ 125.165,00.

PÚBLICO - 7.193 pagantes.

LOCAL - Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP).

Leia tudo sobre: SantosFlamengocampeonato brasileiro