Justiça determina que servidores não impeçam acesso aos aterros de BH

Decisão, expedida pelo desembargador Armando Freire, determina que o Sindibel não dificulte a entrada dos funcionários da limpeza aos aterros; segundo a PBH, coleta de lixo na capital foi afetada

iG Minas Gerais | Da redação |

Manifestantes impedem entrada e saída de caminhões do Aterro Sanitário Municipal na manhã desta quarta-feira (21)
Sindibel/Divulgação
Manifestantes impedem entrada e saída de caminhões do Aterro Sanitário Municipal na manhã desta quarta-feira (21)

Uma liminar concedida pela Justiça à Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) determina que o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Belo Horizonte não impeça ou dificulte o acesso dos funcionários da Superintendência de Limpeza Urbana (SLU) aos aterros sanitários municipais. Na decisão, são citados a Central de Tratamento de Resíduos Sólidos (CTRS) na BR-040, no bairro Jardim Filadélfia, na região Noroeste da capital, e o Aterro de Macaúbas, em Sabará, na região metropolitana de Belo Horizonte.

De acordo com a liminar, expedida pelo desembargador Armando Freire nesse sábado (24), “em caso de os acessos já estarem sendo obstruídos, efetivamente, que sejam, pronta e imediatamente, liberados, sob pena de multa de R$5.000 por cada hora de obstrução”. O magistrado determinou, ainda, que a Polícia Militar (PM) garanta o cumprimento da liminar caso seja necessário.

Nessa quinta-feira (22), garis fecharam o aterro sanitário em Sabará e impediram a saída de caminhões do local, que recebe grande parte do lixo da capital e de algumas cidades próximas como Caeté, Vespasiano e Contagem.

Em nota, a PBH informou que o impedimento do acesso das empresas responsáveis pela coleta de lixo aos aterros prejudicou o serviço de coleta em alguns bairros da capital. Ainda segundo o comunicado, a Superintendência de Limpeza Urbana já está tomando as providências necessárias para a regularização do serviço a partir deste domingo (25).

Leia tudo sobre: justiçaliminaraterroslugreve