“O ritmo que vivemos ativa mais o transtorno”

Ana Maria Costa Psicóloga clínica Especialista em transtornos do impulso

iG Minas Gerais | Raquel Sodré |

O TEI é um transtorno da atualidade?

Não, uma vez que trata-se de um problema relacionado ao controle do impulso da agressividade. Mas sem dúvida o ritmo que vivemos o ativa ainda mais.

Os casos de TEI estão aumentando?

Não podemos afirmar isso porque não temos dados suficientes para essa resposta. O que podemos afirmar é que mais pessoas estão se dando conta de que alguns comportamentos agressivos não podem ser ignorados e merecem atenção e cuidados de profissionais especializados.

Como diferenciar o TEI de outros transtornos?

O TEI não apresenta outros sintomas senão comportamento exaltado frente a situações que lhe causam frustrações, descontentamentos e que exijam tolerância. É uma dificuldade de avaliar uma melhor forma de lidar com as situações. Existe coerência no conteúdo dos argumentos por eles apresentados, porém não existe uma forma adequada de lidar com a situação.

Quais sinais devem despertar o alerta de que a pessoa pode ter TEI?

Comportamentos agressivos não devem ser tolerados, porque geram consequências muito ruins. Sendo assim, qualquer pessoa que apresenta uma forma exaltada, desproporcional e agressiva em lidar com os eventos do cotidiano devem procurar ajuda profissional. Mesmo não sendo diagnosticado TEI, a pessoa em questão merece atenção para entender o que está ocorrendo.

O tratamento é eficaz?

O portador com tratamento psicológico e medicamentoso (se for o caso) poderá perceber o que faz e gerenciar melhor seus comportamentos, passa a ter escolha de atitudes e não fica refém do impulso. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave