Nova moda é casar em museus

Instituições chamam atenção pela sofisticação; objetos de arte compõem a decoração da festa

iG Minas Gerais | THAÍS PIMENTEL |

Sonho. Casamento de Patrícia Leite, que aconteceu no sábado, dia 17, no Museu de Artes e Ofícios
Divulgacao / Dois Cliques Fotogr
Sonho. Casamento de Patrícia Leite, que aconteceu no sábado, dia 17, no Museu de Artes e Ofícios

 Um ambiente clássico, em art nouveau, criado no fim do século XIX. Escadarias suntuosas, tapetes vermelhos e um salão de encher os olhos. Qualquer noiva que se preze sonharia em comemorar seu casamento em um lugar assim. Mas não se trata de um local qualquer. Esse é o prédio onde fica o Museu de Artes e Ofícios (MAO), na praça da Estação, em Belo Horizonte. Casar em um museu está se tornando um “must” entre as noivas. “Nossa senhora! Não tem lugar mais bonito. O ambiente ficou muito bacana”, conta a médica Patrícia Leite, que se casou no MAO, na semana passada.

Mas é preciso desembolsar um bom dinheiro para realizar esse sonho. Apenas o aluguel do espaço para fazer a festa de casamento por lá sai, em média, por R$ 9.000. Porém, quem estiver interessado deve se submeter a algumas regras do museu. “Não pode haver frituras, para não estragar o acervo. Entrego o museu limpo e espero receber limpo. A desmontagem dos equipamentos usados na festa deve ser imediatamente após a recepção, pois o hall tem que estar liberado às 7h do dia seguinte”, esclareceu Patrícia Lamounier, produtora executiva do MAO. Além disso, os convidados não podem visitar as galerias do museu, já que a comemoração fica restrita ao mezanino e ao hall. Obras de arte na decoração. Quem optar pelo Museu Inimá de Paula, na rua da Bahia, no centro de Belo Horizonte, vai poder contar com as obras de arte como parte da decoração da festa. “Claro que os noivos podem encomendar flores e outros adereços. Mas a própria galeria dá um charme especial”, descreve a responsável pelos eventos na instituição, Andrea Victor. Velas estão proibidas no local, por questões de segurança. Porém, sempre existem alternativas. “Teve um casal que usou velas de LED. Ficou lindo”, conta ela. No Inimá de Paula, a capacidade máxima é de 280 pessoas, e a festa não pode passar das 2h. “Temos que ter tempo para desmontar e limpar a galeria antes da abertura do museu ao público”, disse Andrea. O aluguel do espaço para a cerimônia e a recepção pode sair por R$ 14 mil. Toda a renda é utilizada na manutenção do museu. Como os casamentos são selecionados, não há uma lista de espera. A vantagem é que, se o casal estiver apressado, é possível que encontre uma data vaga ainda neste ano.

Quanto custa o aluguel Museu de Artes e Ofícios, na praça da Estação: média de R$ 9.000, dependendo do número de convidados Museu Inimá de Paula, rua da Bahia, 1201: média de R$ 14 mil. Salão para, no máximo, 280 pessoas 

Instituto Inhotim, em Brumadinho: os valores não foram divulgados. Segundo o setor de eventos, o preço varia de acordo com as requisições dos noivos. A festa pode ser feita para até 500 convidados

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave