O determinado

iG Minas Gerais | Diego Costa |

undefined

Bastou apenas um jogo sob o comando do técnico Felipão para o volante Fernandinho garantir um lugar na Copa do Mundo no Brasil. E foi contra a África do Sul, o último amistoso da seleção em 2013. A boa temporada pelo Manchester City pesou. Ele será um dos suplentes da seleção brasileira.

Fernando Luiz Roza, de 29 anos, é natural de Londrina, no Paraná. Foi revelado nas categorias de base do Atlético-PR. Jogou no time do Sul do Brasil até 2005. Após ser vice-campeão da Copa Libertadores da América, ele se transferiu para o Shakhtar Donetsk, da Ucrânia. E ficou lá por muito tempo. Foram oito temporadas pelo clube ucraniano. Além dos seis títulos do campeonato local, ainda conquistou a Liga Europa da temporada 2008/2009, o mais relevante troféu levantado por Fernandinho na equipe.

Ainda no time do Leste Europeu, ele foi chamado pelo então técnico da seleção brasileira, Mano Menezes, em 2011. Foram cinco partidas com o antigo comandante. Mas Felipão veio, e Fernandinho ficou esquecido. Precisava fazer algo diferente para conquistar o treinador. Ficar somente na fria Ucrânia não seria suficiente.

Eis que a grande chance apareceu ainda em 2013. Foi contratado por um dos times mais ricos do mundo, o Manchester City, da Inglaterra. Na forte Premier League, Fernandinho mostrou serviço. Foi campeão neste ano. Então, o técnico brasileiro fez um único teste com o volante. Resultado: aprovado. O paranaense está na Copa.

Inspiração em um pentacampeão

Ainda garoto, ele jogou no PSTC, de Londrina. Foi revelado pelo Atlético-PR. Passou por um clube do Leste Europeu, o Besiktas, da Turquia, e sabe bem o que é disputar uma Copa do Mundo tendo o Luiz Felipe Scolari como técnico. Essa é a história do volante Kléberson, de 34 anos. As semelhanças entre o roteiro traçado pelo veterano e a própria carreira empolgam o selecionável Fernandinho. Em 2002, Kléberson foi pentacampeão na Copa do Japão e Coreia do Sul. Natural de Uraí, também no Paraná, foi comemorar a conquista em Londrina. Em entrevista coletiva na cidade, Fernandinho revelou que espera repetir o feito e celebrar o hexacampeonato com os conterrâneos. “Eu vejo quase que da mesma forma: ganhar o campeonato mundial, voltar para Londrina, receber uma festa maravilhosa como ele recebeu e ser exemplo para outras crianças, outros adolescentes que se espelham na minha carreira. O Kléberson fez neste sábado, eu posso fazer hoje, e outro pode fazer amanhã, assim é a vida”, declarou.

Lance inesquecível. Gol do título do Mundial sub-20, em 2003. No fim da partida contra a Espanha, em Abu Dhabi, Fernandinho cabeceou a bola para as redes e decretou vitória brasileira, por 1 a 0

Ponto fraco. Abusa das faltas em determinados momentos; só na última temporada foram 78 pelo Manchester City

Ponto forte. Velocidade e agilidade na marcação, além de qualidade para sair jogando

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave