Marcha das Vadias reúne 800 pessoas contra 'cultura machista'

Ato que teve início no centro da capital às 13h, deste sábado (24), foi encerrado na praça da Liberdade, na região Centro-Sul de Belo Horizonte

iG Minas Gerais | CAMILA BASTOS |

Pelo fim da cultura machista e discriminatória, a Marcha das Vadias reuniu aproximadamente 800 pessoas na Praça da Rodoviária, neste sábado (24).  

De acordo com a Polícia Militar (PM), os participantes do ato, em grande maioria mulheres, começaram a se concentrar no centro da capital por volta de 13h. Por volta de 14h30, manifestantes seguiram até a praça da Estação, onde ficaram por cerca de meia hora.

Munidos de faixas e com o corpo escrito com reivindicações, participantes do ato seguiram para a avenida Afonso Pena, onde se encontraram com os servidores municipais em greve acampados na frente da prefeitura, alguns aderiram á marcha e seguiram em direção à praça da Liberdade.

Essa é a quarta edição do ato que acontece sempre em maio, desde 2011. Desde a última edição, foram realizados vários encontros entre as organizadores e representantes de movimentos como Associação das Prostitutas de Minas Gerais (Aprosmig) e o movimento Negras Ativas, coletivo de feminismo negro. 

"A luta é diária, mas a Marcha é o dia de mostrar para os 'não convencidos' de que nós estamos aqui'', declarou Adriana Torres, uma das organizadoras do evento.

Ainda para Adriana, que compareceu ao evento com o filho, Leon, de 2 anos, "a violência é uma consequência da falta de liberdade", explica. O menino acompanha a mãe desde a edição de 2012, quando ela ainda estava grávida.  

 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave