Aécio Neves diz que, se eleito, reduzirá ministérios à metade

Segundo Aécio, os ministérios hoje servem muito mais para a composição de uma ampla base aliada do que para ajudar o país

iG Minas Gerais | Da redação |

undefined

O senador Aécio Neves, pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB, voltou a criticar o número de ministérios do governo Dilma Rousseff e disse que, se for eleito, acabará com algo como a metade das pastas hoje existentes.

"O Brasil só tem menos ministérios do que o Sri Lanka", afirmou, neste sábado, 24, durante coletiva de imprensa em Porto Alegre, para oficializar a pré-candidatura da senadora Ana Amélia Lemos (PP) ao governo gaúcho. "Vamos restabelecer a racionalidade da máquina pública brasileira."

No Rio Grande do Sul, o PP formou coligação com PSDB e Solidariedade para as eleições majoritárias, na contramão da postura do partido em nível nacional, que tende a apoiar a campanha de reeleição de Dilma Rousseff.

Segundo Aécio, os ministérios hoje servem muito mais para a composição de uma ampla base aliada do que para ajudar o país. "E a própria base não ajuda tanto, porque poucas questões estruturais foram solucionadas com essa base", disse.

O senador falou ainda que ex-governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia está preparando o programa de governo. "Queremos apresentar uma estrutura de governo já durante a campanha, com vinte e poucos ministérios." A coletiva, realizada em um auditório da Assembleia Legislativa do RS, contou com a presença também do presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força.

Leia tudo sobre: eleicoes 2014aecio nevescríticaluladilmaptpsdb