Protesto sem transtornos não chama atenção

iG Minas Gerais |

Apesar dos protestos e greves que acometem a capital refletirem em trânsito bloqueado e transtornos para grande parte da população, o sociólogo e professor de ciências sociais da PUC Minas Manoel Neto acredita que essa estratégia ainda é a melhor forma de cobrar mudanças do poder público. Ele afirma que as respostas dos políticos às ações dependerão da intensidade e frequência dos atos durante a Copa.

“Mas acho que a tendência é haver uma diminuição. A Copa envolve as pessoas em um outro tipo de atmosfera. Isso tem um aspecto desmobilizante do ponto de vista político”.

Fechar ruas, para Neto, pode afastar ou aproximar a população conforme a causa pela qual o movimento social milita. “A gente tem visto nas pesquisas que o apoio para as manifestações tem caído. A população parece estar se ressentindo dos impactos que esses protestos provocam. Mas nem todas as manifestações precisam do apoio da população”, avalia. (JHC)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave