Bandeiras carregadas por jovens

iG Minas Gerais |

Uma outra turma também terá chance de eternizar seu sonho em uma partida de Copa do Mundo. São os carregadores de bandeiras. Em cada partida, um pequeno grupo de seis garotos, com idades entre 12 e 17 anos, entra em campo com as flâmulas das nações logo depois do trio de arbitragem.

A Coca-Cola, também patrocinadora do evento, selecionou 40 adolescentes em todo o país por meio de um concurso. Os participantes tinham o desafio de enviar frases e fotos que mostrassem a paixão pelo futebol e por que mereceriam ser carregadores de bandeira na Copa. As respostas eram abertas para votação popular, e quem recebesse mais votos levava o prêmio.

“Eu mereço ser um carregador de bandeira do nosso Brasil entrando em campo e conhecendo os jogadores”, foi a frase de Willian Krause, um dos ganhadores mineiros.

Também foram disponibilizadas vagas para carregadores de bandeira para empresas parceiras da Coca-Cola, como supermercados. O Extra lançou, em fevereiro, uma promoção para clientes que comprassem produtos da fábrica de refrigerantes em suas lojas. Ainda há entendimentos com outros países para que compatriotas carreguem a bandeira de sua própria nação. Na África do Sul, em 2010, adolescentes brasileiros levaram a bandeira nacional em jogos da seleção brasileira. “É uma experiência maravilhosa de entrar em campo com os jogadores, se aproximar da torcida e ser parte de uma Copa do Mundo, quase como alguém que está jogando”, destaca o vice-presidente de comunicação e sustentabilidade da Coca-Cola Brasil, Marco Simões.

Para que o protocolo de entrada dos atletas em campo não tenha erros, os garotos passam por um treinamento. É preciso atenção na entrada e na saída do campo, assim como o posicionamento e o ângulo correto para a exibição da bandeira. Por ser grande, a bandeira do país é segurada em cada uma das quatro pontas, além de mais duas sustentações centrais.

Os pais ou responsáveis legais pelos jovens precisam autorizar a atividade. Os adolescentes recebem condições para o deslocamento de casa, alimentação, seguro e um ingresso para um dos jogos da Copa. (TN)

É chegada a hora!

Encontro. Os garotos selecionados vão se encontrar em um dos restaurantes da rede de fast-food antes de partirem de ônibus para o estádio, sob a orientação de monitores.

Espaço. Antes de se vestirem para entrar em campo, as crianças irão se divertir com jogos e brincadeiras em um espaço reservado. 

Preparação. É hora de prestar atenção e fazer bonito. Os monitores vão explicar como se portar dentro de campo. Não pode ficar tietando ou conversando com os atletas. Tem que ser sério e discreto. O jogador com quem o garoto vai entrar é sorteado. Depois, é só dar as mãos e sentir a vibração da torcida.

Premiação. Além do kit com o uniforme, os mascotinhos vão receber uma medalha. O pai ou responsável leva de prêmio o ingresso para ver o jogo e acompanhá-los.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave