Microcervejarias querem conquistar turistas da Copa

Fábricas da bebida investem em espaços de degustação e organizam tours guiados

iG Minas Gerais | Ana Paula Pedrosa |

Maternidade Cervejeira é o novo espaço da tradicional Krug Bier
Studio Pixel / Divulgação
Maternidade Cervejeira é o novo espaço da tradicional Krug Bier

As microcervejarias de Belo Horizonte e Nova Lima querem aproveitar a Copa do Mundo para confirmar a capital como destino turístico. Quem estiver em BH durante o evento poderá tirar um dia para fazer o Roteiro Cervejeiro, rota oferecida pela Libertas Viagens e que já tem saídas programadas para os dias próximos aos jogos no Mineirão.

“É um potencial muito grande”, diz a diretora-executiva da empresa, Fernanda Fonseca. O passeio foi criado há um ano com apenas uma saída mensal. Com a procura, o passeio passou a ser sob demanda e durante a Copa haverá duas ou três saídas com foco no turista do futebol.

Cada pessoa paga R$ 200 para conhecer e participar de degustações em três cervejarias. O almoço e o transporte a partir do hotel também estão incluídos. Fernanda diz que o atendimento da demanda está ligado à estrutura oferecida pelas cervejarias. “No início, eu tinha que agendar com semanas de antecedência para elas se prepararem. Agora, consigo programar de um dia para o outro’, conta ela.

E essa estrutura ainda vai melhorar. A Krug Bier, por exemplo, vai inaugurar antes da Copa um espaço para degustação e organizar um tour guiado à fábrica. O projeto demandou investimentos de R$ 100 mil e vai ampliar o potencial de visitações. Hoje, a fábrica consegue receber apenas pequenos grupos e sem regularidade. Com o novo espaço, será possível ter grupos de até 20 pessoas para conhecer o espaço.

“Vai facilitar a visitação. A demanda é muito grande”, diz o austríaco Herwig Gangl, sócio da cervejaria. Ele abriu a fábrica em 1997 e diz que, desde então, o mercado “descobriu” as cervejas artesanais. “Naquela época, esse mercado nem existia. Hoje, já é muito significativo”, afirma.

A Backer também se prepara para receber turistas em grande estilo. Em junho, a empresa vai inaugurar o Templo Cervejeiro, um complexo com espaço para visitação, degustação e um restaurante pub com 240 lugares. “Estamos preparando a infraestrutura para trazer o cliente para dentro da nossa casa”, diz a diretora de marketing, Ana Paula Lebbos.

O complexo ficará pronto em agosto, depois da Copa, mas a marca aposta no turista de negócios que continuará vindo a Belo Horizonte e está fazendo parcerias com a Belotur, hotéis e agências de viagem para atrair os visitantes.

“As cervejas precisam estar perto do cliente. Estamos preparando a infraestrutura para trazer o cliente para dentro da nossa casa”

Paula Lebbos

Backer

“Vamos facilitar a visitação e a degustação. A demanda é crescente”

Herwig Gangl

Krug Bier

Aposta

Brazuca. A Copa deve aquecer as vendas de cervejas artesanais. Tanto que a Backer apostou em uma marca exclusiva para o período, a Brazuca, que fica no mercado até o fim do torneio.

Números

20%

é quanto cresce o mercado de cerveja artesanal por ano

1997

foi quando BH ganhou sua primeira microcervejaria

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave