Berlim, Potsdamer Platz

iG Minas Gerais |

Recepção tradicional na loja de chocolates da Fassbender é um atrativo a mais no local
Milton Luiz
Recepção tradicional na loja de chocolates da Fassbender é um atrativo a mais no local

Maior referência da efeverscência cultural europeia contemporânea, Berlim é hoje o que o Nova York foi até 20 anos atrás. Aluguéis mais baratos trouxeram artistas de ponta de vários nichos, o clima geral (que ainda permanece) é de reconstrução, trazendo um ar de novidade. A complexidade cultural que veio com a união das metades ocidental e oriental fazem da cidade um celeiro de criatividade e de abertura ao novo.

Ao contrário do que muita gente imagina, Berlim é uma cidade romântica (uma das poucas capitais europeias onde há um clima de namoro entre os casais em lugares públicos), barata (para os padrões europeus) e com uma dicotomia interessante, onde o peso de seu passado convive com a leveza de sua jovialidade.

Do antigo lado oriental sobrevive ainda a austera arquitetura soviética. Bares, como o Café Moscou, mantêm o sucesso com um clima comunista que já é vintage. Mas grande parte da antiga Berlim oriental está revitalizada, especialmente o Mitte, que não é mais o lugar soturno do célebre filme de Fassbinder, “Berlim Alexanderplatz”.

A Potsdamer Platz é o mais novo cartão-postal da cidade (era como um terreno baldio há 20 anos), tendo em volta do seu antigo reduto comunista um complexo de edifícios ultra modernos que celebra as glórias da economia de mercado. Os restaurantes fervem e o clima de renovação está em toda parte. Em volta do Sony Center, vários restaurantes recebem visitantes do mundo inteiro, com instalações bem-montad e boa comida.

Dali, se vai a pé para o Portão de Brandemburgo, na famosa Unter den Linden – ainda finalizando aqui e ali sua aparente eterna reconstrução. Pela Friederichstrasse chega-se a um dos mais badalados pontos centrais de bares e restaurantes da cidade , como os Lutter & Wegner, Borchardt, os Chocolates da Fassbender, todo o Gendarmenmarkt e o Vau do chef estrelado Kolja Kleeberg.

Se, no quesito tradição, o andar gourmet da loja de departamentos KDW, no antigo reduto da sofisticada Berlim ocidental, tira o fôlego de gourmets do mundo inteiro (talvez superando até o Harrold’s de Londres), no item novidade Rosentalerplatz e Kreuzberg são os dois grandes pontos da cidade.

Dicas de restaurantes e bares são quase impossíveis, estão por toda parte, desde o simpático e badalado Moret La Barba, até casas com jovens tocando jazz e muitas outras com comida para todos os gostos, de schintzel a falafael. Prova que, também na gastronomia, Berlim se reinventou e está mais viva e interessante do que nunca.

RECEITA

FETTUCINI COM JOELHO DE PORCO DEFUMADO, MOLHO DE AÇAFRÃO E OVO POCHÊ TRUFADO

Preparo do fettucine.Fatie 1 joelho de porco defumado em tiras finas. Em um pote, misture 2 envelopes de açafrão espanhol em pó com 1 xícara de creme de leite fresco. Cozinhe 500 g de fettucine em uma panela com água fervendo até a massa estar cozida, porém ainda um pouco firme à mordida. Retire do fogo e escorra.

Em uma panela, aqueça 2 colheres (sopa) de manteiga sem sal e refogue o joelho de porco por 2 minutos. Acrescente o fettucine , em seguida o creme de leite fresco com açafrão e misture bem. Retire do fogo, tempere com sal e pimenta-do-reino e acrescente 1/4 xícara de queijo pecorino e 3/4 xícara de queijo grana padano ralados. Em pratos individuais coloque uma porção do fettucine, por cima coloque 1 ovo pochê, tempere com o azeite trufado e salpique uma pitada de ceboulette em cada prato. Sirva imediatamente.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave