Presidente colombiano espera que seleção una o país

Juan Manuel Santos passou a responsabilidade de unir a população ao capitão do time, Mario Yepes

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A seleção da Colômbia foi recebida nesta sexta-feira (23) pelo presidente do país, Juan Manuel Santos, numa cerimônia de despedida do grupo na Casa de Nariño, residência oficial do chefe de estado colombiano. Radamel Falcao Garcia, que ainda é dúvida para a Copa, foi ausência sentida no encontro.

Ainda nesta sexta-feira, a Colômbia faz a "grande festa de despedida da seleção", no Estádio El Campin, em Bogotá, antes de viajar para a Argentina, onde fará sua preparação para a Copa e jogará dois amistosos, contra Senegal e Jordânia. Falcao, que segue na França, vai se reunir com o grupo em Buenos Aires.

No encontro desta tarde, Santos entregou a bandeira colombiana ao capitão do time, Mario Yepes. O mandatário comparou a missão do jogador com o legado deixado pelo ex-presidente sul-africano Nelson Mandela.

De acordo com o presidente colombiano, cabe a Yepes o poder de unir o país. "Você tem este poder agora e durante os próximos 50 dias", disse Santos. "A unidade nacional que vocês representam é muito importante para o momento que vive o país."

O presidente lembrou dos conflitos internos no país e a paixão pelo futebol. "Quando estamos vendo os jogos, todos as diferenças do país vão desaparecer, porque atrás de vocês vão estar 47 milhões de colombianos. Não importa a que partido político pertençam, a que região pertençam ou quais sejam suas diferenças."

Santos fez clara referência até mesmo às Farcs: "Inclusive as pessoas com às quais estamos conversando hoje para encerrar o conflito armado, estes também estarão apoiando vocês". A Copa do Mundo do Brasil é apenas a quinta da história da Colômbia, que não joga um Mundial desde 1998.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave