Hamilton põe em dúvida a 'sede' de vencer de Rosberg

Piloto inglês já conhece Rosberg desde os tempos em que corriam de kart, mas pela primeira vez divide espaço com o alemão em uma mesma escuderia

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Hamilton ganhou as últimas quatro provas, enquanto Rosberg venceu a corrida de abertura e mantém boa regularidade no campeonato
Lewis Hamilton Oficial Facebook/reprodução
Hamilton ganhou as últimas quatro provas, enquanto Rosberg venceu a corrida de abertura e mantém boa regularidade no campeonato

Lewis Hamilton e Nico Rosberg estão dominando este Mundial de Fórmula 1 e dão a impressão de que irão travar uma disputa particular pelo título desta temporada, embora o campeonato deste ano ainda não tenha chegado em sua metade e a dupla da Mercedes tenha rivais do quilate do tetracampeão mundial Sebastian Vettel e do bicampeão Fernando Alonso.

Líder, o piloto inglês tem apenas três pontos de vantagem sobre o alemão no Mundial e resolveu colocar um pouco de pimenta nesta rivalidade interna ao pôr em dúvida a real "sede" que o companheiro de equipe tem de vencer e consequentemente de ser campeão. 

Pimenta na disputa

Hamilton questionou o quão faminto o filho do campeão mundial de F1 de 1982, Keke Rosberg, seria na briga pelo campeonato ao lembrar que o alemão sempre contou com uma condição financeira privilegiada, enquanto o inglês é de origem mais simples.

"Venho de um lugar tão fabuloso em Stevenage e vivia no sofá do apartamento do meu pai, e Nico cresceu em Mônaco com aviões, hotéis e barcos e todas essas coisas", disse o campeão mundial de 2008, fato que o faz acreditar que seu companheiro talvez não tenha a sua mesma fome na luta para triunfar na categoria máxima do automobilismo. "Então o desejo é distinto. Si viesse aqui crendo que Nico tem mais fome do que eu, então era melhor eu ir para casa", completou.

Neste final de semana, Rosberg estará no "quintal da sua casa", pois no domingo acontece o GP de Mônaco, a sexta etapa do Mundial, e com seu discurso de momento Hamilton começa a colocar pressão sobre seu companheiro de equipe. Questionado sobre qual seria o resultado ideal para a prova, o inglês deixou a diplomacia de lado e admitiu: "Eu em primeiro, Fernando (Alonso) em segundo e Sebastian (Vettel) em terceiro. Esse seria o ideal para mim. O resultado ideal para a equipe seria que os dois carros da Mercedes fiquem em primeiro e segundo".

Neste cenário de rivalidade, Hamilton espera começar a abrir vantagem sobre Rosberg a partir de Mônaco, cujos treinos de classificação para o grid de largada serão realizados às 9 horas (de Brasília) deste sábado, mesmo horário da corrida de domingo.

"Ainda que sejamos da equipe dominante, não ganhei do meu companheiro com 40 segundos de vantagem. Na última corrida, por exemplo, a diferença entre nós foi de seis décimos (de segundo)" afirmou o inglês, se referindo ao GP da Espanha.

Hamilton ganhou as últimas quatro provas do campeonato, enquanto Rosberg venceu a corrida de abertura e se mantém perto do inglês no campeonato com sua regularidade, fato que o deixa confiante na briga pelo título. "Tem sido dura a batalha até agora, e espero que continue assim. É claro que ele ganhou dois pares de corridas, mas estamos muito próximos. Só preciso de um pouco mais para ultrapassá-lo", lembrou o alemão.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave